quarta-feira, 11 de julho de 2012

Cheias de Charme transcende ao sucesso e vira fenômeno.



As "empreguetes" Cida (Isabelle Drummond), Rosário (Leandra Leal) e Penha (Taís Araújo) conquistaram  o público

Dia desses entrei em uma dessas lanchonetes fast food aqui perto de casa. Estava na hora da exibição de “Cheias de Charme” bem no momento de um show das Empreguetes. Fiquei surpreso com o que aconteceu ali: as máquinas simplesmente pararam! Hamburgeres deixaram de serem grelhados por um momento, atendentes paralisaram seus serviços no caixa e clientes simplesmente ignoraram o cardápio. Todos, inclusive eu, ficaram parados diante da tevê até o número musical chegar ao fim. E isso, claro, acompanhado de comentários de todos, que procuravam eleger sua empreguete favorita. Não tive dúvidas: estava diante de um fenômeno, não só de audiência, mas de popularidade e repercussão (embora pareça a mesma coisa, nem sempre esses três elementos caminham juntos). Mas a que se deve esse fenômeno?

A verdade é que ninguém sabe ao certo o que faz de uma novela um sucesso. Se tivesse uma fórmula pronta, tudo seria mais fácil (e também mais monótono). Embora não haja uma resposta exata para essa questão, podemos enumerar alguns fatores que contribuem pra isso. O primeiro deles é que “Cheias de Charme” não é uma novela acomodada, no sentido de utilizar clichês e soluções fáceis. É uma novela que parece ter sido pensada há muito tempo pelos autores, por isso todas as tramas caminham bem, dialogam entre si e progridem juntas. Podemos citar também o texto inspiradíssimo, cheio de referências pop e linguagem afiada e antenada com as gírias e jargões da atualidade. Os autores não economizam trama e já promoveram vários momentos catárticos para delírio do espectador, como o primeiro show das Empreguetes, a saída de Cida (Isabelle Drummond) da casa dos Sarmentos e, essa semana, o triunfo de Elano (Humberto Carrão) sobre Conrado (Jonatas Faro). Há também uma identidade visual que a torna única, uma direção ágil e um elenco afiadíssimo, que parece se divertir tanto quanto os espectadores.
Na primeira semana da novela, publiquei um texto que dizia que “Cheias de Charme” trazia o frescor da novidade e não estava errado. Claro que as três empreguetes e Chayene (Claudia Abreu) são os grandes destaques. Mas a novela tem dado a oportunidade de muita gente brilhar, como a estreante Titina Medeiros, que tem feito o Brasil gargalhar com a hilária e sem noção Socorro; e Lygia (Malu Galli), a “patroete” do bem, que enfrenta uma crise familiar, profissional e de saúde. Assim como uma orquestra afinada, a novela dá a oportunidade de todos os instrumentos musicais, no caso os personagens, se sobressaírem e terem seu momento durante o concerto. Isso faz com que a peteca não caia nunca e faça o espectador ficar sempre empolgado com alguma trama em evidência, enquanto outras tramas “descansam”.

Apesar desse “frescor”, é inegável que a novela também nos remete às grandes e memoráveis comédias dos anos oitenta, sobretudo as de Sílvio de Abreu e Cassiano Gabus Mendes. Há tempos venho refletindo sobre isso e é sempre temeroso fazer comparações, mas depois do capítulo de ontem, no qual Elano desmascarou o esquema dos Sarmentos, arrisco a dizer que “Cheias de Charme” é minha novela das sete favorita desde “Cambalacho” (1986), de Sílvio de Abreu. E mais ainda: as duas novelas são da mesma família.

 Tina Pepper (Regina Casé) e Chayene (Claudia Abreu): fenômenos de popularidade

“Cambalacho” também teve uma personagem popularíssima ligada ao meio musical, cujo hit transcendeu aos capítulos da novela. Quem viveu os anos 80 não esquece os versos de “Você me incendeia”, megahit da espalhafatosa Tina Pepper (Regina Casé) que, a exemplo de Chayene, não valia nada, mas caiu nas graças do público e chegou a participar do “Cassino do Chacrinha”, o programa de auditório mais popular daquela época. E a exemplo de “Cambalacho”, cuja temática central era, através do humor, discutir honestidade, ética e o tal “jeitinho brasileiro” para vencer na vida, “Cheias de Charme” também se aproximou dessa temática e marcou mais um golaço. Num tempo em que as vilãs são cheias de frases de efeito, se tornando mais populares que as mocinhas, a discussão do capítulo de hoje em torno do assunto foi sensacional, sem ser chata, didática ou careta. No melhor estilo a la "Vale Tudo",  fomos brindados com atuações irrepreensíveis de Humberto Carrão, Leopoldo Pacheco, Taís Araújo, Tato Gabus e Alexandra Richter. 

Cena do sensacional embate entre Elano (Humberto Carrão) e Conrado (Jonatas Faro): ética e honestidade em jogo
A novela já era o máximo na comédia. Hoje, os autores mostraram que também são feras em dar aos personagens a dimensão humana necessária para arrasarem nas cenas dramáticas. E a sequência final do tão esperado beijo de Cida e Elano fechou o capítulo com chave de ouro, dando aquele gostinho de “quero mais”. Por essas e outras, essa novela é um pacote completo. Mais do que um sucesso que apenas garante bons índices de audiência e faturamento para a emissora, "Cheias de Charme" tem tudo para entrar pra galeria das grandes novelas e se tornar memorável! Vida longa para Filipe Miguez, Izabel de Oliveira e toda a equipe de roteiristas, que injetaram um fôlego invejável no horário das sete, sabendo reunir o melhor do passado, com inspiradas referências do presente e vislumbrando um promissor futuro para nossa teledramaturgia.

____

LEIA TAMBÉM:

ARMANDO EU VOU, ARMANDO COM VOCÊ...





21 comentários:

FABIO DIAS disse...

SÓ DIGO UMA COISA:
Assino embaixo desse texto!
Porém a considero a melhor novela desde Cobras e Lagartos!
:)))

Abraço
Fabio
www.ocabidefala.com

Rafael Barbosa dos Santos disse...

Nossa, texto mais que perfeito, diz tudo o que realmente penso sobre Cheias de Charme, uma novela pela qual tenho um imenso carinho. Realmente sou fã, o capítulo de terça foi emocionante, recheado de grandes momentos, como as cenas de Sonia e Ernâni Sarmento, o desabafo de Penha e Otto, e claro a declaração de Elano a Cida, que terminou com um beijo dos pombinhos. Não sou dos anos 80, por isso não posso comparar Cheias de Charme as novelas da época, mais para mim é a melhor novela das sete que já acompanhei, seguida por Dá cor do pecado e Cobras e Lagartos que também adorei!

http://brincdeescrever.blogspot.com.br/

Nilson Xavier disse...

Realmente, o capítulo de ontem foi fantástico! Um dos melhores, certeza!
Como Vitor bem lembrou, uniu tudo de bom e melhor que uma novela deve ter: drama, humor, suspense, tensão, romantismo.

Pense numa novela boa!, como diria Chayene.

O Planeta TV! disse...

Amadinho, quede meu cheiro? Rsrsrsrsrs Essa novela é um fenômeno. Amo de paixão. É marcante igual Cobras & Lagartos e Ti Ti Ti.

Que venha Guerra dos Sexos para arrebentar mais ainda. =)

Unknown disse...

Excelente texto,Vítor!
Você tem razão,Cheias de Charme é um sucesso de popularidade,audiência e repercussão.Me arrisco em dizer que 8 entre 10 pessoas têm o vídeo das empreguetes no celular. Fazia tempo que não via uma novela das sete mexer tanto com as pessoas! E que atriz é Cláudia Abreu! Nós,já acostumados a vê-la com personágens sérias e dramáticas,estamos vendo-a exercitando a sua veia cômica com muito êxito,provando que é uma das melhores(senão a melhor) atrizes de sua geração.E o que foi o capítulo de ontem!Elano lavou a alma de todo mundo que não suporta Conrado e Isadora(chamá-la de vassoura de bruxa foi genial!) e ainda se declarou pra cida!Também nos surpreendemos com a atitude humana de Sônia,numa excelente interpretação de Alexandra Richter,que não aceitou as falcatruas do marido.Sem falar na sempre ótima Socorro,Titina Medeiros é uma grande revelação do ano.Enfim,cheias de Charme veio pra provar(mais uma vez) que renovar é preciso.

edu viera disse...

eu saquei que a novela tinha passado esse limite qdo em classe alunos se associavam aos personagens, eu sou a rosário, a fulana é a cida, a professora considerada por eles era a Lígia... e qdo uma aluna copiou e me mostrou a letra de vida de empreguete.Fora um aluno que imita a Chayenne a todo momento. Pense!!! kkkkk
Maravilhosa novela. Maravilhoso texto!

Manuhh disse...

Parabéns, ótima ánalise de uma das melhores novelas das 19h dos últimos tempos. Cheias de charme vai entrar para a história como um folhetim inovador, que passeia pelo romance, drama e comédia de forma brilhante. Muitas cenas da novela já se tornaram antológicas, cenas essas muito bem escritas, dirigidas e principalmente interpretadas. O trio de protagonistas estão dando um show, com destaque para Taís Araújo, Claudia Abreu está espetacular e um time de coadjuvantes que seguram muito bem as suas tramas. Um viva a Cheias de charme. Sou fã!

Lilly Soares disse...

Concordo plenamente com esse texto. Mas me arrisco dizer que Cheias de Charme, além de um frescor de novidade, e uma ótima novela, é não somente um grande e merecido sucesso das 19h, mas ao meu ver, é também a melhor dentre as novelas atuais... Eterno Amor tem uma trama fraquinha que nem empolga e Avenida Brasil acho podre, só tem baixaria, maldade e gente que grita, não fala. Cheias de Charme, tem comédia, drama, suspense, personagens cativantes, entre os protagonistas e os coadjuvantes e uma novela que dá gosto de assistir e acompanhar, como há mto, as atuais novelas não me davam vontade de acompanhar... Até me arrependo de não tê-la visto desde o primeiro capítulo, por um pré-julgamento de considerá-la mais uma dentre as atuais novelas medianas... Mas qdo comecei a ver, eu "viciei" Afinal, já faz um tempo que nenhuma novela me atraia p/ assisti-la e acompanhá-la....
Parabéns pelo seu texto, mto bom e concordo plenamente com ele.

Fábio Santos disse...

ótimo texto! Realmente "Cheias de Charme" é um fenômeno.
Fábio Santos http://amantesnovelas.blogspot.com.br/

Vinícius Sylvestre disse...

Impossível não ficar atraído pela TV quando aparece a exibição dos capítulos da novela global, Cheias de Charme. A novela é um deleite para nossos olhos e coração. Possui um bom enredo, personagens interessantíssimos, fatos inusitados…alegria, brilho… Tudo isso mantém o telespectador atento e feliz. Afinal, muitas gargalhadas são dadas em diversas casas localizadas em cada canto do país.

Quem idealizou a novela foi muito feliz, articulou elementos sociais antagônicos – patrão e empregado. Isso com muita criatividade e perspicácia. Uma reflexão sobre o universo da tradicional casa de família, que tem como peça fundamental a empregada doméstica. Aquela que muitos não valorizam.

Além disso, nos deparamos com um verdadeiro musical, bons textos impregnado pela poesia e musicalidade. Estes interpretados por autores maravilhosos, como Claúdia Abreu, que rompeu com a imagem de vilã emburrada. A personagem Chaiene é muito, muito…divertida!

Além disso, o trio de empregadas enriquecem a trama de forma peculiar, pois as personagens, mesmo sendo empregadas domésticas, apresentam perfis diferentes.

Sei… uma novela que encanta adultos e crianças.

Ivan disse...

''Aê, deixa eu te falá pa tu! arrazô no texto hein colega!''

Walter de Azevedo disse...

Vitinho, está tudo aí. Seu texto é perfeito. Cheias de Charme é diversão com qualidade. Assim como você, vivi a fase áurea do horário das 19, com Sílvio e Cassiano, e vendo Cheias de Charme, a sensação que tenho é a mesma daquela época. Delicioso ver que Felipe e Izabel beberam na fonte certa. Autores, direção e elenco motrando como se faz uma ótima novela.

Emerson Felipe disse...

Cheias de Charme é um achado! Todas as excelentes características que fazem da novela um fenômeno, tanto em audiência como em repercussão, foram muito bem apontados pelo Vitor.

E realmente não fica devendo em nada às grandiosas comédias das 19 horas dos anos 80. Cheias de Charme é de uma criatividade e de um carisma que remetem a essa produtiva época. Texto afiado e muito bem desenvolvido, uma direção criativa que dá uma deliciosa identidade própria à novela, e atuações irretocáveis de um elenco muito bem selecionado.

Um típico novelão que prova que a teledramaturgia está viva, renovada, radiante e antenada com os novos tempos.

Nanny disse...

Olá Vitor! Comentava eu hoje de como estou curtindo "Cheias de Charme". Quero acrescentar no seu texto também cuidado que os escritores tiveram em inserir no contexto a história da Cinderela ( neste caso a Cida) com as duas irmãs malvadas e a madrasta. Tá certo que ela já se desvencilhou delas, mas fez parte da história, certo?

Concordo com todos os comentários tecidos sobre a excelente atuação de Claudinha Abreu. Ela está impagável.

Brunno Duprat disse...

É espetacular, acima do perfeito.
Inclassificavelmente maravilhosa.
Um show à parte e de longe a melhor novela em exibição!!!

JOSÉ EDUARDO disse...

Quando vi Chayenne no "Esquenta", lembrei demais de Tina Pepper no "Cassino do Chacrinha" pela novela 'Cambalacho" de 1986.

"Cheias de Charme" é a melhor novela de 2012 e a melhor dos últimos tempos na Globo. Virou história, virou fenômeno. Será sempre lembrada, sempre referência.

Mercedes Faria disse...

Ótimo texto Vítor. Cheias de charme é um primor de novela, aliás a melhor novela em exibição!

Sérgio Santos disse...

Perfeito, Vitor! A novela faz um merecido sucesso, tem ótimos personagens e uma trama extremamente agradável. Já entrou para a lista das melhores novelas das sete de todos os tempos.

Unknown disse...

Sempre leio seu blog, mas desta vez não tive como deixar de comentar. Acho que esta é a novela com a maior repercussão dos últimos 10 anos no horário das 19 horas e conseguiu algo raríssimo nos dias de hoje: fazer o público vibrar não com uma, mas com três protagonistas, numa época em este tipo de personagem era considerado insosso e apenas os vilões caiam na boca do povo.

Thiciane Diniz disse...

Ótimo texto, Vitor! A novela merece demais todo esse sucesso! Cheias de Charme já entrou na minha lista de melhores novelas de todos os tempos!!

ROSANA RODRIGUES disse...

Gente, perfeito mesmo!!É exatamente isso que acho da novela.Sou viciada, faço tudo rápido para não perder Empreguetes.
AMo a Thaís, ela está linda e esbanjando talento!

Prefira também: