quinta-feira, 14 de abril de 2011

Série Memória Afetiva – 10 vilãs memoráveis - PARTE III – ANOS 2000


Depois das maravilhosas malévolas das décadas de 80 e 90, encerro essa “série memória afetiva” com as minhas vilãs favoritas da última década, que foi pródiga no assunto. Por isso mesmo, já prevejo polêmicas, já que é inevitável que as favoritas de muitos fiquem de fora. Outro item que vai dar o que falar é a posição no ranking, já que há praticamente um empate técnico entre as quatro primeiras. Qualquer uma dessas quatro poderia ser a primeira, já que fizeram um sucesso retumbante. Antes de mais nada, um agradecimento especial ao querido amigo Duh Secco, do blog “Agora é que são eles”, pela luxuosa colaboração. Vamos a elas:


10) NORMA (Carolina Ferraz em “Beleza Pura)


 Na época da exibição de “Beleza Pura”, só se falava em Rakelly (Isis Valverde). A maluquete roubou a cena da novela, deixando em segundo plano a trama central, na qual Norma era encarregada das mais terríveis vilanias. Mas bem depois da novela, Norma virou febre com o surgimento do vídeo “Eu sou rica”, no qual nossa belíssima vilã deixa bem claro para o mocinho Guilherme (Edson Celulari) o motivo pelo qual não iria presa. “Eu sou rica” ganhou as pistas de dança, virou hit na internet e colocou Norma na galeria das grandes vilãs.



9) VILMA (Lucinha Lins em “Chamas da Vida”)


Uma mãe dominadora, uma empresária ambiciosa e uma incendiária insana. Assim era Vilma Oliveira Santos, que não hesitava em botar fogo, literalmente, na vida de seus inimigos. Brilhante desempenho de Lucinha Lins, Vilma dominou a ação em Chamas da Vida, desde o início, quando todos sabiam que ela era a responsável por inúmeros incêndios envolvendo seus inimigos, até o fim, quando passou a ser perseguida por um segundo incendiário e se viu completamente louca com a hipótese de ser eliminada da mesma forma que eliminava seus rivais. (Por Duh Secco)


8) SÍLVIA (Alinne Moraes em “Duas Caras”)

 Ela foi chegando de mansinho na novela, mostrando-se dócil e amável no início, para logo depois revelar uma personalidade obsessiva e crimonosa. Sílvia usava de seu charme para conseguir o que queria com Ferraço (Dalton Vigh) e não hesitava em querer eliminar seus inimigos. Dois momentos da vilã são muito marcantes pra mim: o primeiro, no qual ela deixa seu enteado Renato se afogando em um lago com a desculpa de que não pode molhar o cabelo (como amo ironia!!!); e o segundo, seu embate com a governanta Bárbara (Betty Faria), braço-direito de Ferraço, que detectou de cara a boa bisca que ela era. Vibro com aquela cena em que Sílvia tenta dar um tapa em Bárbara e leva uma chave de braço da governanta, que arremata com a melhor definição possível para a vilã: “diabinha”.
  

7) MAÍSA (Daniela Escobar em “O clone”)

 Maísa não é daquelas vilãs clássicas que trama coisas mirabolantes em meio a gargalhadas malévolas. É uma vilã, a la Gloria Perez, que foge desses estereótipos: amargurada, rancorosa, ressentida e humana. Mãe dominadora, faz de tudo para impedir o namoro da filha com seu segurança. Sem o amor do marido Lucas (Murilo Benício) e humilhada pela paixão deste por Jade (Giovana Antonelli), Maísa compensa sua frustração torrando o patrimônio do maridos com joias e vestidos caros e age silenciosamente, seduzindo Said (Dalton Vigh), marido de Jade, para se vingar da Odalisca. Uma cobra, que espera pacientemente pelo bote e um trabalho intenso e bem realizado de Daniela Escobar.


6) MARTA (Lília Cabral em “Páginas da Vida”)


 Outra vilã que foge do modelo clássico. Aliás, há quem nem a considere uma vilã, tamanha a humanidade que a genial Lilia Cabral emprestou à personagem. Frustrada pelas expectativas que depositou no marido e nos filhos, Marta era uma mulher comum e foi até compreendida por grande parte da audiência, que a via como uma batalhadora que carregava a família nas costas. Mas o fato dela rejeitar a neta portadora de Síndrome de Down, revelando todo o seu preconceito foi inaceitável. E com isso, nossa “querida” Marta foi contemplada com um passaporte para ingressar no rol das grandes vilãs da década.


5) ADMA (Cássia Kiss em “Porto dos Milagres”)



Mais uma vilã “aguinaldeana”. Adma era fria, calculista, minimalista. Transpirava crueldade pelos poros e era capaz de tudo para proteger seu amado Félix (Antonio Fagundes) dos inimigos. A arma? Uma boa dose de veneno que carregava em seu anel. O público vibrou com mais essa atuação espetacular de Cássia Kiss e esperava apreensivo para saber quem seria a nova vítima da terrível Adma.


4) BIA FALCÃO (Fernanda Montenegro em “Belíssima”)

“Pobreza pega”. Sim, queridos, agora começa o desfile das maiores vilãs. O quarto lugar pode até soar injusto para Bia, mas acreditem, até o primeiro lugar foi quase um empate técnico. Espécie de Odete Roitman do terceiro milênio, Bia tinha todas as características da histórica vilã “valetudista” (desprezo pelo Brasil, corrupção, instintos assassinos e sede por garotões). E com um agravante: o total desprezo pela filha legítima Vitória (Claudia Abreu). Bia fez e aconteceu: simulou a própria morte, prejudicou a neta Júlia (Gloria Pires) o quanto pôde e ainda protagonizou uma cena digna de tragédia grega ao rejeitar solenemente a filha pela segunda vez. Terminou feliz em Paris nos braços de um garotão aos brados de “bando de idiotas”. Mais um excelente trabalho para a já extensa galeria de personagens inesquecíveis de Fernanda Montenegro.


3) LAURA (Claudia Abreu em “Celebridade”)


Essa adorável “cachorra” causou frisson na época da novela e até hoje é lembrada como um dos melhores desempenhos de Claudia Abreu. Sonsa, dissimulada, com uma ironia e sarcasmo únicos, Laura movimentou a novela até ser assassinada no último capítulo. Totalmente inspirada em Eve Harrington, clássica personagem que infernizava Bette Davis em “A malvada”, Laura tinha objetivo destruir a vida de Maria Clara Diniz (Malu Mader) e, para isso, contava com a ajuda de um bom michê, Marcos (Marcio Garcia), como toda vilã gilbertiana que se preza. A surra que Laura levou de Maria Clara (inspirada em uma antiga cena de “Água Viva”) foi memorável, mas a melhor lembrança que tenho de Laura é dela arrasando, linda, na pista de dança, comemorando seu triunfo sobre a inimiga.


2) FLORA (Patricia Pillar em “A Favorita”)



Essa é cult! Flora deu a sua intérprete Patrícia Pillar inúmeras possibilidades de interpretação. E a atriz não desperdiçou: deu um banho como psicopata vingativa da genial trama de João Emanuel Carneiro, obstinada em destruir a vida de Donatela (Claudia Raia), por quem tinha um misto de ódio e admiração. Flora não poupava ninguém, nem a própria filha Lara (Mariana Ximenez), por quem tinha um profundo desprezo, e não teve escrúpulos em usá-la para colocá-la contra Donatela. Flora foi um show: irônica, sempre com ótimas tiradas, divertiu o público pra valer e também foi responsável por cenas eletrizantes em que o limiar entre a vida e a morte estava sempre em jogo. A intérprete de “Beijinho Doce” arrebanhou uma legião de fãs e até hoje deixa saudade.

1)           NAZARÉ TEDESCO (Renata Sorrah em “Senhora do Destino”)


O que dizer dessa linda raposa felpuda? Dona de uma invejável autoestima, Nazaré Tedesco foi a responsável pelo sofrimento de décadas da “anta nordestina”, como gostava de chamar Maria do Carmo (Susana Vieira), pelo sequestro de sua filha Lindalva (Carolina Dieckmann), a quem criou cercada de amor, como se fosse sua própria filha. E para proteger esse segredo, Nazaré foi capaz de tudo, inclusive matar o próprio marido José Carlos (Tarcisio Meira) e sua antiga colega dos tempos de prostituta, Djnenane (Elisângela), ambos rolando escada abaixo. Além disso, infernizava a vida de enteada Claudia (Leandra Leal). Nazaré era deliciosamente lasciva, debochada, insana, engraçada, divertida, enfim, um show à parte de Renata Sorrah, que soube aproveitar o genial texto de Aguinaldo Silva como ninguém. Pra o melão, é a campeã pelo seguinte motivo: apesar de extremamente caricata, Nazaré era, antes de tudo, humana, e movida pelo amor incondicional que tinha pela filha, a ponto de abrir mão de sua própria vida por causa dela. Portanto, se você cruzar em uma esquina com uma bela loira com uma tesoura na mão, fuja! Mesmo depois de morta, Nazaré pode ser capaz de tudo! Palmas para Nazaré, a incontestável campeã da década.




MENÇÕES HONROSAS:

Ø  FRAU HERTA (Ana Beatriz Nogueira) em “Ciranda de Pedra"
Ø  CRISTINA (Flávia Alessandra) e DEBORA (Ana Lucia Torre) em “Alma Gêmea”
Ø  JEZEBEL (Elizabeth Savalla) em “Chocolate com Pimenta”
Ø  LAILA (Christiane Torloni) em “Um anjo caiu do céu”
Ø  YVONNE (Leticia Sabatella) em “Caminho das Índias”
Ø  DJANIRA PIMENTA (Betty Faria) em “América”
Ø  LEONA (Carolina Dieckmann) e  MILU (Marília Pera) em “Cobras e Lagartos”
Ø  SOFIA (Zezé Polessa) e BEATRIZ (Debora Falabella) em “Escrito nas estrelas”
Ø  MARCELA (Drica Moraes) em “O cravo e a rosa”
Ø  BÁRBARA (Giovana Antonelli) em “Da cor do pecado”
Ø  ESTER (Zezé Polessa) em “A lua me disse”
Ø  AUGUSTA EUGÊNIA (Arlette  Salles) em “Porto dos Milagres”
Ø  ZILDA (Cassia Kiss) em “Eterna Magia”
Ø  TAÍS (Alessandra Negrini) em “Paraíso Tropical”
Ø  JUDITH (Debora Evelyn) em “Caras e Bocas”
Ø  CLARA (Mariana Ximenes) em “Passione”


Leia Também:

Série Memória Afetiva – 10 (ou mais) vilãs memoráveis - anos 80



20 comentários:

TH disse...

Nossa! A lista ficou ainda melhor que a dos anos anteriores. Os anos 2000 tiveram mesmo vilãs inesquecíveis.

Concordo com tudo o que você escreveu. A Marta de "Páginas" também conseguiu rejeição após "vender" o neto Francisco pro seu verdadeiro pai. Eu colocaria a Augusta Eugênia (Arlete Salles), de "Porto dos Milagres" nas menções honrosas, apesar de não ser a antagonista principal da trama, me fazia dar boas risadas.
E Bebel (Camila Pitanga, em Paraíso Tropical) e as duas personagens de Laços de Família, Alma (Marieta Severo) e Íris (Deborah Secco) não seriam consideradas vilãs também?

Abraços, Vitinho. E parabéns pela relação!

O Vitor viu... disse...

Oi, TH! A Augusta Eugênia está nas menções honrosas. Quanto à Alma e à Íris, pois é... apesar de eu ter adorado ambas, não consigo vê-las como vilãs, sobretudo a Alma, que largou do pé da Helena logo no início da novela e passou a sofrer com as traições de Danilo...rs! Obrigado pelo comentário! Vc sempre um parceirão! :)

Fábio Leonardo disse...

Adorei a lista!

Conseguiu reunir, de fato, as melhores vilãs da década. Se eu tivesse feito, Flora ficaria em primeiro lugar (risos), mas Nazaré também é imensamente merecedora do posto.

Parabéns, Vitão! Sucesso em sua nova empreitada "astrológica". rs

Eddy Fernandes disse...

Ah, essa lista ficou o máximo! Ao contrário das outras, não mudaria nenhuma personagem de lugar. Acho até que seria difícil escolher apenas 10 vilãs marcantes nessa década, que foi, de fato, prodigiosa nesse quesito.
Show, Vitor!

Daniel Pepe disse...

Pois é, essa última década foi realmente recheada de grandes vilãs. Acredito que pro horário nobre global tenha sido a mais rica. Pode ser que eu mudasse a ordem, mas eu também deixaria as 4 primeiras nessa categoria.

Isaac Abda disse...

Amo as vilãs... as minhas favoritas são dos anos 80 e 90. Da sua lista eu subiria a Augusta Eugênia para o lugar da Maísa. Fico sempre contente por ver algum personagem de novelas da Record, com merecido destaque: a Lucinha Lins deu um Show como a Vilma de Chamas da Vida. Aliás, talvez você não tenha assistido Marcas da Paixão - Record, novela em que a Irene Ravache se mostrou ótima como a vilã Dete.
Um abraço Vitor!

cristian-monteiro disse...

Muito boa essa lista... e concordo em gênero, numero e grau.... Parabéns pelo ótimo blog...

Uma dica, faça um Top com as mocinhas... Afinal, não existe uma grande vilã, sem uma mocinha no mínimo razoável.... rsrs

Duh Secco disse...

Ótima relação! Fiquei honrado em ter ajudado, Vitinho.

Nazaré é, sem dúvida, a grande vilã da última década. Só o número de mortes que ela carregava nas costas já lhe garante essa posição. Mas eu ainda prefiro Flora e Laura Cachorra. E Vilma Oliveira Santos! hehehe

Também não acho que Alma e Íris possam ser consideradas vilãs. Aliás, é difícil ter uma vilã, no mais amplo sentido da palavra, em uma obra do Maneco.

Parabéns pelo post!

Walter de Azevedo disse...

Tem como não amar todas essas vilãs?? Ainda mais em uma lista encabeçada for Nazaré Tedesco e Flora Beijinho Doce rsrs. Nunca mais verei Sorrah e Pillar com os mesmos olhos hehe

Paulinha disse...

Quantas vilãs! Pra mim são os tipos mais admiráveis e que devem ser melhor construídos numa novela. Por mais más que sejam, as vezes consigo até achar justificativa e dizer um "bem feito" na mocinha por ser babacona!! rs.

A lista está muito boa sim. A Vilma de Chamas da Vida, ainda bem que foi lembrada. Oportunidade muito bem aproveitada de Lucinha Lins de nos lembrar que bela atriz ela é. Flora, Nazaré, Laura são todas DIVAS. Certeza que nunca mais veremos as 3 atrizes do mesmo jeito com personagens tão bom quanto.

P H Amorim disse...

No meu Top 10 eu rebaixaria a Norma, a Maísa e a Sílvia para menção honrosa e subiria a Clara, a Marcela e a Bárbara pro Top 10...

RÔ_drigo disse...

aDOGo essas suas listas vit!me fazem pensar as minhas...rs!!
ae vai a minha lista...
1-)Flora
2-)Laura
3-)Adma
4-)Vilma
5-)Nazare
6-)Marta
7-)Silvia
8-)Cristina e Debora
9-)Ines
10-)Frau Herta

Blog disse...

Amo a Laura de Claudinha Abreu, mas a Flora tb foi um achado!! adorei o texto.
Ivy

Carlos Fernando disse...

Tudo muito bom, tudo muito bem só que em primeiro lugar eu colocaria a Flora.

Jéfferson disse...

Olá amigo, tudo bom? Adorei esse post, entre as 10 as que mais gostei foram: a Norma da minha atriz preferida, a Carolina Ferraz, e a Vilma da maravilhosa Lucinha Lins, que fez uma personagem inesquecível de uma grande novela!

abraços

Jéfferson Balbino
www.jeffersonbalbino.zip.net

Rafael Barbosa dos Santos disse...

Adorei a lista. Naza e Flora as melhores, so acho que a Barbara de da cor do pecado podia estar entre as 10. Tenho uma perguntinha, se o post fosse feito hoje, encaizaria a doida (que eu adoro) da Tereza Cristina na lista?

http://brincdeescrever.blogspot.com.br/2012/03/final-de-fina-estampa-tereza-cristina.html

Daniel Figueiredo disse...

Senti falta da Idalina Menezes de Albuquerque, de Força de um desejo. Mandou a baronesa voltar para a cloaca de onde veio, tem como não amar?

Maurício Ferreira disse...

acho que os anos 2000 tem tantas grandes vilãs porque elas passaram a ser mais importantes do que a própria protagonista da trama... percebam que Laura, Flora e Nazaré são muito mais lembradas do que as protagonistas... Todas ótimas, claro que tenho que citar a Marta que Lília Cabral interpretou com maestria em "Páginas da Vida", mas o Manoel Carlos nunca foi de exagerar na dose venenosa de suas vilãs, dosava às vezes até na mesma dose para as suas protagonistas, o que acabava colocando quase que suas vilãs no mesmo patamar de humanidade dos outros personagens, salvo Branca de "Por Amor" que para mim foi e é uma vilã clássica. Mas voltando pro post, os grandes criadores de vilãs são sem dúvidas Aguinaldo Silva e Gilberto Braga, algo me diz que por eles serem homossexuais tem uma afinidade maior com o veneno para criarem boas, seguras e fortes vilãs... Até Paola Bracho, a grande vilã da América Latina tem medo de Nazaré Tedesco.... e um autor que tem tudo para entrar no hall é João Emanuel Carneiro pois já criou 3 grandes vilãs, sua última causou em 2012, Carminha já é eterna.... medo!

Lucas da Matta disse...

Eu concordo com a citação de todas as vilãs,mas ainda assim,faltaram outras,que marcaram também,como:

-Blanca(Patrícia França),Imaculada (Elizabeth Savalla)e Antonieta (Giulia Gam),de A Padroeira;
-Zenilda Paixão(Arleth Salles),de Sabor da Paixão;
-Olga(Priscila Fantin)e Graça (Nívea Stelmann),de Chocolate com Pimenta;
-Lucrécia Borges(Eva Wilma),de Começar de Novo;
-Miss May(Camila Morgado),de América;
-Ruth(Carol Castro),de O Profeta;
-Ágatha(Cláudia Raia),de Sete Pecados;
-Valquíria(Renata Dominguez),de Amor & Intrigas;
-Verônica(Simone Spoladore)e Cíntia(Carla Cabral),de Bela,A Feia.
Talvez não teriam sido muito bem-construídas,mas movimentaram as tramas nas quais estavam inseridas e serviram para confirmar ainda mais o talento de suas intérpretes!

Unknown disse...

Minha lista de vilãs da década de 2000:

10- Bebel( Paraíso Tropical)
9- Judith (Caras & Bocas)
8- Clara (Passione)
7- Cristina e Débora (Alma Gêmea)
6- Bia Falcão (Belíssima)
5- Bárbara (Da Cor do Pecado)
4- Íris (Laços de Família)- Amo as vilãs humanas do Maneco q mesmo não tendo um rosário de mortes atrás de si, infernizam a vida das mocinhas insossas
3- Laura(Celebridade)
2- Flora(A Favorita) Para mim quase empata com a seguinte
1- Nazaré (Senhora do Destino)- Embora adore a Flora, minha identificação maior eh com essa goxxxxxxtosa pra caramba (kkkkkkkk) por seu narcisismo, senso de humor, trapahlhadas..., enfim Naza é the best.

Prefira também: