quarta-feira, 31 de julho de 2013

Nós sempre teremos melão...




Queridos, neste último dia de julho de 2013, mês em que o blog completou 4 anos de uma trajetória tanto surpreendente quanto vitoriosa, e com total sensação de missão cumprida, que anuncio que este é o último post do melão. Mas nada de tristeza ou melancolia! É tempo de comemorar, celebrar, valorizar as conquistas e olhar para frente! Nós sempre teremos melão!

Sim, o melão só me deu alegrias, desde seu nascimento, completamente descompromissado e com a pretensão apenas de dividir minhas memórias televisivas com outros noveleiros que, assim como eu, amam teledramaturgia até o vulto gigante que ele tomou, sempre com grande repercussão e elogios. Mas é preciso fechar ciclos para que outros possam vir. Nós sempre teremos melão!

Nesses quatro anos, vividos tão intensamente que mais parecem dez, tive a honra e o grande privilégio de contar com a participação de blogueiros convidados, queridíssimos amigos que tanto abrilhantaram e abasteceram o melão com suas análises e lembranças de valor inestimável; também preciso agradecer muitíssimo a todos os profissionais que concederam brilhantes entrevistas e dividiram suas histórias e sua trajetória artística com nossos leitores. O melão, acima de tudo, foi um espaço de generosidade, de compartilhar ideias, lembranças e memórias. Também não posso deixar de agradecer a Felipe Ribeiro, por todos os lindos banners e pelo belo layout que deu identidade ao melão! A TODOS VOCÊS, o meu muito obrigado. Nós sempre teremos melão!

Gostaria de deixar bem claro que o blog não será apagado, portanto todo o seu conteúdo, todos os artigos, todas as sessões, tudo será preservado e estará disponível para consulta a qualquer tempo. Não posso deixar de agradecer a todos os leitores. Não importa se vocês acompanharam o melão todo esse tempo em silêncio ou se sempre me prestigiavam com comentários. Vocês fizeram o sucesso do melão! E exatamente por respeito a vocês é que tomei essa decisão. O melão conquistou muita coisa e não seria justo mantê-lo apenas por uma questão de vaidade ou capricho. O fato é que a vida nos leva para novos caminhos e novas conquistas e nem sempre tenho tido tempo ou disponibilidade para me dedicar ao blog da maneira ele merece. Por isso, prefiro que as pessoas se lembrem do blog como o espaço dinâmico, pulsante e movimentado como sempre foi e que serviu de inspiração para tantos outros blogs que vieram depois. Nós sempre teremos melão!

Por fim, quero informar que apenas as atividades do melão nesse formato atual é que estão sendo encerradas hoje. Mas como ser inquieto que sou, já penso em um novo projeto a caminho e, é CLARO que, onde quer que esteja, o melão sempre estará presente. Aguardem!!!

Além disso, o melão de papel continua à venda e a todo vapor. Vocês podem adquirir um exemplar e obter informações sobre outros sites de venda através do site da Navilouca Livros, onde o melão também está disponível na versão e-book. Não falei? Sim, nós sempre teremos melão!

Um beijo carinhoso a todos vocês, meu muito obrigado e minha eterna gratidão a cada um que acessou esse blog.

Segue abaixo um presente carinhoso que recebi de meu amigo Gilberto Zangrande: um caprichado vídeo-montagem das fotos do lançamento do melão. Obrigado, querido, por juntar as lembranças desse dia inesquecível!




E como presente final, segue abaixo o luxuosíssimo prefácio do livro do melão, escrito pelo Alcides Nogueira, muso absoluto do melão! Tide, querido, não posso deixar de te agradecer por tudo, pela sua parceria constante, pela generosidade ímpar e pela imensa capacidade de dizer SIM! Claro que a palavra final do melão não poderia pertencer a ninguém melhor que você!

Com a palavra, Tide! Beijos e até breve!!!

_____


UM SUCULENTO MELÃO

Entre as muitas conquistas que a internet nos proporcionou, desde que passou a fazer parte do nosso quotidiano, está o de ter se tornado um campo de debate e exposição de ideias com uma (quase)total liberdade de expressão.

Com isso, jornais e revistas, até então os principais detentores (e manipuladores) das opiniões, hoje são obrigados a conviver com sítios e blogs que repercutem os fatos de maneira muito mais avassaladora, e em velocidade infinitamente maior que suas manchetes, reportagens, editoriais etc.

“A voz do dono e o dono da voz” é um bordão que já não tem o peso de antes. Os publishers sabem que, nestes dias, os debates acontecem no cyber space. Como um ser totêmico, a internet possui muitas faces e vozes e nenhum dono.

Discussões fundamentais para o avanço e/ou solidificação das conquistas da sociedade civil são dissecadas e discutidas por pessoas de todo o mundo e em tempo real, com maior liberdade e sem a tesoura dos editores.

Claro que, mesmo assim ou por causa disso, a internet não é nenhum mar de rosas! Se, por um lado, não há (quase) mordaças, por outro ela é um canteiro fértil para qualquer veiculação de pensamentos. Ao lado de blogs que tratam com seriedade a política, a economia, a cultura, os direitos humanos... a rede serve também como esgoto para os péssimos humores, frustrações, idiotices, e pregações perigosas de muitos internautas. Eu nem imagino como é que isso será administrado no futuro. Só espero que, jamais, o caráter libertário e informativo da internet seja prejudicado ou abalado.

Há um outro dado importante: exatamente por ser tão veloz e aberta, a internet acaba se tornando fugaz. Quantas vezes eu procurei um artigo ou um comentário postado em um blog e não encontrei mais. Sei que há os arquivos... mas eles se tornam um labirinto tão grande, que o cansaço da pesquisa acaba vencendo. Ou, então, muita coisa some mesmo!
Conjugar o suporte físico de um livro, por exemplo, com o conteúdo dos blogs é uma excelente maneira para que o registro se torne mais duradouro.

Até há pouquíssimo tempo, o interesse pela teledramaturgia estava restrito a publicações mais interessadas na vida das celebridades e fofocas de corredores ou aos sérios trabalhos acadêmicos, raramente acessíveis. Hoje, a produção televisiva desperta o interesse de muita gente. Principalmente da geração mais nova, crítica e menos benevolente do que a que viu a televisão surgir no Brasil. A teledramaturgia não é mais “uma produção intelectual menor”, como foi considerada durante muito tempo. Ainda mais no Brasil, onde a produção para a telinha é, quase sempre, de alta qualidade. Fora ser o principal entretenimento do brasileiro.

Em consonância com a própria rede, há todo tipo de blogs teledramatúrgicos: os que não passam de uma repaginação das revistas de fuxicos; os que postam gratuitos e infundados comentários ferinos e irônicos; os que não expressam nada de novo, servindo apenas para lustrar o ego de seus blogueiros e amigos... e os realmente interessantes. Um deles é o “Eu Prefiro Melão”, de Vitor de Oliveira.

Vitor, jovem e talentoso autor começando uma promissora carreira, tem um profundo conhecimento da história da teledramaturgia brasileira, uma memória incrível, faz questão de pesquisar e “desenterrar” pérolas... e posta comentários certeiros, críticos, argutos, além de entrevistas com autores, atores e atrizes, diretores. A seriedade do seu blog não tira, em momento algum, a sensação agradabilíssima de se comer um melão suculento (o título, muito sugestivo, vem do bordão usado por uma personagem criada pelo mestre Cassiano Gabus Mendes). É um puro deleite acessar o “Eu Prefiro Melão” e conhecer muito da história da nossa sessentona (e cada vez mais jovem) teledramaturgia.

Juntando os alhos com os bugalhos, temos agora um registro em livro dos comentários de Vitor de Oliveira, para que o conteúdo de seu blog não se perca no virtual. Bela iniciativa! Se Chacrinha ainda estivesse comandando o seu cassino, ou a sua discoteca, com certeza deixaria o bacalhau de lado e berraria, acompanhado de cornetadas: “Quem quer melão?” “Quem quer melão?”

Eu quero. E aposto que vocês também!
ALCIDES NOGUEIRA

São Paulo, 2011


______________

LEIA TAMBÉM: 

Tide, só tinha de ser com você!!! - Entrevista especial com ALCIDES NOGUEIRA!!!





12 comentários:

Fabio Dias disse...

Vitor, parabéns por tudo que conquistou nesses quatro anos e que agora nessa nova etapa todos os seus desejos se concretizem!

Eu qdo conheci o Melão me apaixonei à primeira vista, pois era um texto mais delicioso que o outro. Fiquei horas lendo, completamente encantado com o conteúdo.

O Cabide me trouxe muitas alegrias tb e as maiores alegrias foram as amizades que conquistei e vc é uma delas!

Um abraço!
E essa semana nos encontraremos!
<3

Ivan disse...

Sempre vou preferir melão!

Walter de Azevedo disse...

Confesso que estou um pouco chocado com essa informação. Uma pena que o nosso querido Melão vá encerrar suas atividades. Desde o início,se mostrou o melhor blog sobre teledramaturgia. Não poderia ser diferente tendo você à frente, Vitinho. Foi uma honra ter participado dessa trajetória com algumas pequenas colaborações. Fico no aguardo de seus novos projetos, mas sempre mantendo o melão guardado no coração.
Beijos e sucesso, meu amigo!

Danielle Crepaldi Carvalho disse...

Olá, Vitor.

Poxa, eu sou uma das que comentam pouco mas passam sempre por aqui. É sempre triste saber da descontinuação do blog de um amigo. Mas estou certa que coisas muito boas virão pra ti - que algumas certamente já estão à caminho.

Abraços e muitas felicidades.
Danielle

Nilson Xavier disse...

Vitor, que a nova empreitada tenha uma carreira de sucesso como o Melão!

Melão Forever!

Isaac Abda disse...

Surpreso com o anúncio, Vitor. O Melão é um espaço mantido com naturalidade, "despretensioso", e de muito bom gosto. O Melão tem a cara do seu dono, tem a sua cara, Vitor. Isso é sentido, isso é ratificado por todos... É sempre um prazer estar por aqui.

"...e que serviu de inspiração para tantos outros blogs que vieram depois. Nós sempre teremos melão!"

"Não importa se vocês acompanharam o melão todo esse tempo em silêncio ou se sempre me prestigiavam com comentários."

"Mas como ser inquieto que sou, já penso em um novo projeto a caminho..."

E que venham os próximos projetos virtuais e/ou de dramaturgia. Abração!

Wesley disse...

Vitor, meu querido amigo, Melão fez uma trajetória linda durante esses 4 anos (passaram rápidos, né?) rs... Era uma honra escrever para o Melão, blog pioneiro na arte de pontuar os melhores momentos de nossa teledramaturgia. E Melão tinha um diferencial: emoção. Os textos tinham uma emoção que só você sabia passar. E, sim, muita paixão pelo que escrevia. Obrigado pela oportunidade de fazer parte dessa história. Melão, sempre!!!

Cristiano Matheus disse...

Parabéns pelo blog!
Parabéns pelo livro!

Muito sucesso e inspiração...

abraço

Cíntia disse...

Vitor, toda despedida traz doses de surpresa, tristeza, expectativas, até uma pontinha de raiva. Enfim, emoção!

Aguardemos as novidades. Muito sucesso para você!

Abs
Cíntia
http://folhas-de-almanaque.blogspot.com.br/

Evaldiano de Sousa disse...

Vitor , parabéns por essa grande e eterna contribuição a memória da teledramaturgia. O MELÃO foi o primeiro blog sobre nivelas que conheci, e ao lado do POsso CONTAR me inspiraram a criar o e10blog. Muitíssimo obrigado e muita sorte nesta nova empreitada !!

Tarcísio Lara Puiati disse...

Sempre teremos Vitor!
Isso é maravilhoso!
Beijos e sucesso sempre, querido!

Edison Eduardo d:-) disse...

Vitor...

A bela experiência do Melão vai fazer com que o sucesso do que está por vir seja ainda mais saboroso! Sorte aí!

Forte abraço!

Edison Eduarddo

Prefira também: