quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

30 anos de “Água Viva”



Nem posso dizer que parece que foi ontem porque nem cheguei de fato a acompanhar a novela. Na época, era praticamente um bebê...rs! Só muitos e muitos anos depois fui comprovar o que só conhecia de ouvir falar.

Ali estava o Gilberto Braga clássico: bas-fonds da alta sociedade, muitas festas, muito glamour e, claro, uma alpinista social, no caso, Lígia (Betty Faria), uma heroína diferente das outras, sem aquelas qualidades tão recorrentes. Deliciosamente imperfeita e não levava desaforo pra casa, foi o pomo da discórdia entre os irmãos Fragonard (Reginaldo Faria e Raul Cortez). Também foi um grande momento da carreira da ainda menina Isabela Garcia, que viveu Maria Helena, uma órfã que encantou o Brasil e protagonizou cenas tocantes com Ângela Leal. O elenco ainda contava com Lucélia Santos, cuja personagem se chamava Janete em homenagem a La Clair, grande gurua do autor; Tonia Carrero, que se destacou como ultra-moderna Stella Simpson e Beatriz Segall, como mais uma adorável vilã, Lourdes Mesquita. Eloisa Mafalda, Natália do Vale, Claudio Cavalcanti, Glória Pires, Fábio Júnior, Maria Padilha também são alguns nomes do ótimo elenco. E como toda boa novela de Gilberto, um famoso “quem matou”. A vítima da vez, Miguel Fragonard (Raul Cortez). O assassino era Kleber, personagem de José Lewgoy.

Direção de Paulo Ubiratan, com direção geral de Roberto Talma e uma luxuosa colaboração de Manoel Carlos.

Para celebrar a data, vamos rever uma das melhores cenas da novela, que Giba copiou e colou muitos anos depois em “Celebridade”. Lígia encurrala Selma (Tamara Taxman) no banheiro e lhe aplica uma merecida surra. Em alguns momentos, parece que Betty deu uns tapas de verdade em Tamara.

Novelão dos bons!

6 comentários:

ALADIM MIGUEL disse...

Água Viva é um marco na história da telenovela brasileira. Grande elenco em um texto afiadíssimo do Gilberto ajudaram a marcar uma época. Musicas lindas nas trilhas (nacional e Internacional principalmente)Tudo perfeito ! Calor que provoca arrepio kkkkkkkkkk

Eu, Wesley disse...

Um charme de novela. Vi apenas os dois últimos capítulos e deu pra sentir que trata-se de uma novela excelente. Sou suspeito pra falar, afinal é Gilberto Braga.

aldeia disse...

Vi na época, tinha 10 anos..e revi no Vale a pena( quando ainda valia...) um esplendor de novela, o charme de Angra, o amor cafajeste de Nelson e Lígia, as conversas cabeças de Janete e o prof Edyr,as loucuras da Stella, de quem até eu queria ser filho....e a saga da menina Maria Helena contando com sua fiel escudeira Sueli, uma já maravilhosa Ângela leal. novela nota 10 que deixou saudades.

Anônimo disse...

Lembro-me da força da personagem da Betty faria! O elenco jovem tbm marcou presença: fabio junior, lucelia santos, gloria pires, kadu moliterno...e a trilha sonora é sem comentários!

Nilson Xavier disse...

Esta foi uma das novelas que conheci na reprise, no caso, no Vale a Pena Ver de Novo em 1984.

Veria fácil fácil novamente.

Viva, Relooooou!

Emerson Felipe disse...

E agora, em 2013, temos a chance de poder conferia-la, revê-la ou conhecê-la na íntegra: campanha Água Viva no horário nobre do Canal Viva.
Muita vontade de conhecer inteiramente todo o luxo e charme dessa ensolarada novela com toques gilbertianos e manequianos.
E que ela seja a porta de entrada de outras joias do mesmo período, como Pai Herói, Baila Comigo, Louco Amor, Jogo da Vida, Elas por Elas, Guerra dos Sexos etc.

Prefira também: