domingo, 28 de outubro de 2012

TEMAS E TRILHAS - ZÉLIA DUNCAN




A nova edição de “Temas e Trilhas” é dedicada a aniversariante do dia, Zélia Duncan, que já foi responsável por inúmeros sucessos que figuraram em nossa teledramaturgia. Para a difícil tarefa de elencar apenas 10 canções, melão recrutou um dos maiores fãs da cantora: o queridíssimo Thiago Henrick que, além de noveleiro de primeira, é uma das pessoas que mais entende de música que conheço. Thiago é dono do já cultuado “EnTHulho Musical”, que mesmo em recesso, continua sendo um dos melhores blogs de MPB existentes. Zélia dispensa quaiquer apresentações, mas Thiago a descreveu de forma tão brilhante que já passo a bola pra ele ainda na introdução. Vamos às nossas favoritas:


- AS PREFERIDAS DO THIAGO:

“Hermética popular” – Marília Gabriela certa vez utilizou essa expressão para definir Zélia Duncan e o fez muitíssimo bem. “Às vezes, você canta coisas tão intimistas, que muitos podem sequer entender, entretanto estão lá, cantando em coro e vibrando com seu show”.
Isso é verdade. Por mais que involuntariamente ostente essa postura de “cult”, Zélia faz um enorme sucesso popular, sobretudo quando suas músicas tocam nas novelas. E a própria adora isso! Como já relatou em entrevistas, “A Próxima Vítima” foi vital para que esse sucesso aparecesse, pois “Catedral”, sua versão para o sucesso da cantora britânica Tanita Tikaram, foi tema de um dos casais importantes da novela, vividos por Viviane Pasmanter e Marcos Frota, e lhe projetou de vez. “Confidenciei isso à Viviane um dia, quando a encontrei num aeroporto: que torcia para que a Irene e o Diego ficassem logo juntos para que tocassem a minha música”.
Sou muito suspeito para elogiar a Zélia. Segura, charmosa, talentosa, inteligente, dedicada, sem abertura a estrelismos, uma voz contida e linda e já conta um repertório de trabalhos apresentados muito acima da média. Escolher cinco momentos seus nas novelas foi um trabalho duro, mas procurei eleger cinco bastante representativas de sua trajetória nas trilhas.
Espero que gostem!


5- JURA SECRETA – DA COR DO PECADO (2004)



A composição de Sueli Costa/Abel Silva já havia sido tema de abertura de novela da Globo na voz de Simone – no caso, “Memórias do Amor”, de Wilson Aguiar Filho (1979). Zélia regravou a canção e ela foi tema de Paco (Reynaldo Gianecchini) e Preta (Taís Araújo), casal principal da novela “Da Cor do Pecado”, estreia solo de João Emanuel Carneiro, na faixa das 19h (2004). Na minha humilde opinião, Zélia retirou os excessos de Simone e suavizou a forte letra, conseguindo uma melodia deliciosa e conquistando meu quinto lugar no ranking daqui do Melão.

4- DIZ NOS MEUS OLHOS (INCLEMÊNCIA) – ALMA GÊMEA (2005/2006)
“Diz nos Meus Olhos” é do álbum “Pré-Pós-Tudo-Bossa-Band (2005)”. Zélia musicou um poema de Guerra Peixe, compositor de Petrópolis (RJ) e o resultado final caiu como uma luva pro clima de época da novela “Alma Gêmea”, que sublinhava as maldades da vilã Cristina (Flávia Alessandra). Sabe quando a sonoplastia casa harmonicamente com a obra? É o caso...

3- BREVE CANÇÃO DE UM SONHO – CHEIAS DE CHARME (2012)



Exclusivamente para “Cheias de Charme”, novela de estreia dos autores Filipe Miguez e Izabel de Oliveira, Zélia pôs voz em “Breve Canção de Um Sonho”, belíssima música de Dimitri Rebello com letra da compositora. Não pertence a nenhum disco específico – o que lembra muito a prática antiga e atualmente pouco constante de se criar músicas exclusivamente para os folhetins televisivos – até Cheias de Charme - que quebrou esse tabu e teve uma das mais belas trilhas sonoras dos últimos tempos! Na trama, pontuou muito bem o romance entre a empreguete Rosário (Leandra Leal) e Inácio (Ricardo Tozzi).

2- CARNE E OSSO – SE7E PECADOS (2007)



Carne e Osso”, parceria de Zélia com Paulinho Moska, foi tema de abertura de “Se7e Pecados”. Em entrevista em 2011 ao “Sem Censura”, Zélia contou que a canção chegou à novela com uma ajudinha da própria. Jorge Fernando havia lhe encomendado uma música para integrar um dos núcleos-pecados capitais da trama, e ela respondeu. “Tá, mas por enquanto ouve essa aí”, Ele ouviu e achou que tinha tudo a ver com a proposta da trama, ganhando, assim, a abertura. Hoje vejo que foi praticamente a única coisa que funcionou na novela...

1- ENQUANTO DURMO – SALSA & MERENGUE (1996/1997)

 O primeiro lugar vai mais para a personagem do que para a trama em si. A excepcional Teodora (Débora Bloch), esposa possessiva de Eugênio (Marcello Anthony) era divertidíssima, tinha a língua afiada e roubou todas as cenas que apareceu. Aliada a um texto afiado, tinha “Enquanto Durmo” ao fundo de suas cenas, dando mais charme ainda à antagonista. A música consta no álbum “Intimidade” (1996), abrindo o disco com um barulho de trovão seguido do violãozinho bem dedilhado que é bem característico dessa fase “folk” de Zélia. “Se a chuva é boa, deixa cair”.


- AS PREFERIDAS DO VITOR:














5- VERBOS SUJEITOS – LABIRINTO (1998)
Oficialmente era o tema da hilária Yoyô (Isabela Garcia). Mas o tema tocava sempre que alguém começava a transar. De uma forma ou de outra, combinava perfeitamente com a atmosfera sensual e sexual da minissérie de Gilberto Braga, que tinha aquele ar “decadence avec elegance” irresistível de suas obras. Mesmo tendo conhecido a canção antes da minissérie, agora sempre que a ouço lembro de “Labirinto”.

4- NÃO VÁ AINDA – QUEM É VOCÊ (1996)
Uma das minhas canções favoritas da cantora, que abre o álbum de 1995 que a consagrou. Confesso que pouco assisti à novela, mas a ouvi algumas embalando os encontros e desencontros de Afonso e Maria Luiza (Alexandre Borges e Elizabeth Savalla). As lembranças que tenho são muito mais do final de minha adolescência em Petrópolis em que ouvia esse CD sem parar, mas sempre repetia essa música que, além de linda melodicamente, tem uma letra arrasadora. “Por favor não vá ainda, espera anoitecer. A noite é linda, me espera adormecer” (quem nunca? rs...)

3- DREAM A LITTLE DREAM OF ME – SENHORA DO DESTINO (2004)



Canção do maravilhoso álbum “Eu me transformo em outras”, que caiu como uma luva para o adorável casal, o barão Pedro e a baronesa Laura, vividos magistralmente por Raul Cortez e Gloria Menezes, casal de aristocratas falidos que não abrem mão do charme, da classe e da elegância. O casal era absolutamente adorável e a interpretação charmosa de Zélia só fez com que torcêssemos ainda mais por eles.  

2- NOS LENÇÓIS DESSE REGGAE – CONFISSÕES DE ADOLESCENTE (1994)



Uma das canções mais conhecidas de Zélia, mas pouquíssimo lembrada em uma trilha sonora. Foi tema do cultuado seriado “Confissões de Adolescente”, exibido na TV Cultura e depois na Band. Lembro especificamente de um episódio em que a canção tocou o tempo todo embalando o romance da ainda pré-adolescente Deborah Secco, que vivia Carol, a caçula das irmãs. Carol acaba de ganhar um novo colega de classe, vivido por Victor Hugo e acaba tendo seu primeiro beijo com ele. Uma verdadeira pérola, que também contou com as participações de Leandra Leal e Dudu Azevedo ainda bem novinhos. E a cena final do episódio é ótima com o casalzinho namorando na praia. Uma relíquia que vi e revi várias vezes.


1- CATEDRAL – A PRÓXIMA VÍTIMA (1995)
Mesmo já citada pelo Thiago na introdução, essa canção não poderia ficar de fora do ranking. Mais do que isso: merece o alto do pódio, pois foi a que projetou Zélia nacionalmente e, como o Thiago já disse, foi tema do romance de Irene (Viviane Pasmanter) e Diogo (Marcos Frota) em “A próxima vítima”, blockbuster de Sílvio de Abreu. Curiosamente também tocou em "Confissões de Adolescente". Lembro de um episódio em que Natalia (Daniele Valente) vai acampar e acaba ficando com o personagem de Rodrigo Penna ao som dessa canção. Mesmo tendo ouvido a música na novela e na série, confesso que minha memória afetiva em relação a ela vai bem além disso. Me lembra uma época de muitas descobertas em minha vida quando ainda morava em Petrópolis (impossível não lembrar sempre que passo pela catedral da cidade). Uma de minha canções favoritas, não só do repertório de Zélia, como de todas as canções que conheço. É daquelas que, mesmo tocando incessantemente, eu nunca enjoei e jamais deixei de ouvir.


BONUS TRACK: SUPER HOMEM: A CANÇÃO – DELEGACIA DE MULHERES (1990)
Não resisti e cito aqui essa pérola pouco conhecida, do tempo que a cantora ainda assinava sob a alcunha de Zélia Cristina, chegando a lançar um disco com esse nome. A canção fez parte da trilha da série “Delegacia de Mulheres” e embalava a complicada relação da policial Marineide (Lucia Veríssimo) com o detetive Zé Paulo (Marcos Paulo). Essa é do baú e só pra iniciados (risos).


Melão agradece a luxuosa contribuição de Thiago, deseja feliz aniversário à nossa querida Zélia e que suas canções continuem a embalar muitas trilhas de novela.

E vocês? Quais seus temas favoritos na voz da cantora?

___________________

LEIA TAMBÉM: 

TEMAS E TRILHAS – ADRIANA CALCANHOTTO:




Blogueiro convidado: Thiago Henrick relembra "Baila Comigo"



6 comentários:

Fábio Leonardo disse...

Bela postagem!

Pouca gente entende tanto de música quanto o Vitor e o TH. E falar de Zélia Duncan é sempre uma delícia...

As músicas de Zélia em trilhas de novelas são sempre ótimos momentos. Destaco, sem dúvida, "Jura Secreta" em Da Cor do Pecado, provavelmente a que mais mexeu comigo.

Abração!

robertamalmeida disse...

1º Nos lençóis desse reggae- confissões de adolescente (1994). A primeira canção que ouvi de Zélia antes mesmo da famosa catedral. Além do seriado que tem uma proposta muito inovadora de levar informação sem cair nas pieguices das “moralidades”. Fui fã do seriado e vi inúmeras vezes. Identificava-me com o jeito estabanado de Natália. Linda obra!!!
2º Alma- Pepeu Gomes e Zélia Duncan na novela clone 2001. Belíssima música com uma linda mensagem.
3º se tiver - Filme avassaladora - 2002. Com Giovanna Antonelli, Caco Ciocler, Reynaldo Gianecchini, entre outros. O filme é uma reflexão da vida atual e da questão de querer ter alguém e também realizar os anseios da vida moderna. Tratando com muito charme a luta contra a solidão.
4º Carne e osso da novela sete pecados (2007). Linda música que retrata as qualidades e imperfeições humanas que tantas vezes queremos repelir. Marcou por ser uma nova etapa da minha vida com mudança de cidade e tudo o que até então eu considerava sólido.
5º Diz nos meus olhos – inclemência da novela alma gêmea (2005/2006). Música linda ao mesmo tempo triste. Destaque da atuação de Flávia Alessandra e bom enredo da novela. Marcou meu período de fim de relação cujos ombros TH serviram (risos). A dor da perda e de não acreditar que isso é real e ao mesmo tempo a pessoa se comiserar, esquecer-se de quem é, para sentir plenamente a dor para só assim ressurgir.

Leandro disse...

Carne e osso que embalou diversos momentos da minha vida!

Thiago disse...

Curiosidades adicionais

- "Carne e Osso" não foi o único tema de abertura de Zélia Duncan. A cantora tb esteve na abertura do seriado "Avassaladoras", na Record, em 2006, com "Se Tiver", música feita para o filme que originou a série.

- Verbos Sujeitos, muito bem lembrada pelo queridão Vitor, também esteve na fase Malhação - Múltipla Escolha, de 1999. Era tema da personagem "Marilu", de Carolina Abranches.

- "Alma", música do disco "Sortimento", esteve na novela "O Clone", "Caminho das índias" e dizem que estará em "Salve Jorge" também (apesar de não ter sido confirmada essa última). Todas de Glória Perez.

- "Às Vezes Nunca", defendida por Verônica Sabino em "Por Amor" (1997), é uma composição de Zélia feita pra cantora, e ela mesma acabou regravando, e entrou pro disco "Acesso", de 1998.

Outras músicas de Zélia nas trilhas:

- INTIMIDADE (O Amor Está no Ar, 1997)
- CÓDIGO DE ACESSO (Mulher, 1999)
- SANTA (Chiquinha Gonzaga, 1999)
- TODA VEZ (Torre de Babel, 1998)
- ME REVELAR (Um Anjo Caiu do Céu, 2001)
- 1800 COLINAS (Com Beth Carvalho, O Clone, 2001 - coletânea bar da Dona Jura)
- EU ME ACERTO (Coração de Estudante, 2002)
- VOCÊ VAI VER (Com Pedro Mariano - Sabor da Paixão, 2002)
- DOR ELEGANTE (Belíssima, 2005)
- QUANDO ESSE NEGO CHEGA (Ciranda de Pedra, 2008)
- BOAS RAZÕES (Com Fernanda Takai, Cinquentinha, 2009)
- TUDO SOBRE VOCÊ (Tempos Modernos, 2010)
- DECADANCE AVEC ELEGANCE (Ti Ti Ti, 2010)

Paola Rocha disse...

Oi, eu preciso urgeeeeeeeeeeente saber qual foi a música que Julia matos dançou na Discoteca Dancin' Days, assim que saiu da prisão; pra fazer um trabalho da faculdade.... será que você pode em ajudar??????????

Eddy Fernandes disse...

Linda seleção, meninos. Adoro Zélia.

"Não vá ainda" é tão autobiográfica, belíssima.

Só discordo do Thiago em "Diz nos meus olhos", música arrastadíssima, ainda bem que foi pouco executada.

Prefira também: