domingo, 23 de dezembro de 2012

TOP 10 – REGINA DUARTE




Impossível pensar em teledramaturgia brasileira sem que seu nome não venha imediatamente à cabeça. Regina, rainha absoluta da televisão. São tantas Reginas em uma só que, assim como outros dois homenageados recentemente, Betty Faria e Lima Duarte, foi uma tarefa hercúlea eleger apenas 10 personagens de sua riquíssima galeria de mulheres inesquecíveis. Românticas, loucas, passionais, idealistas, exuberantes, guerreiras... Em 50 anos de carreira, Regina Duarte deu vida a todos os tipos e todas as emoções, com sua interpretação corajosa, visceral e sempre genial. Pra fechar o ano com chave de ouro, confira esse TOP 10 Especial de Fim de ano! Vamos relembrar algumas dessas grandes mulheres vivida por essa grande mulher:


10) HELENA DE “HISTÓRIA DE AMOR” (1995)


A Helena mais “gente como a gente” de todas. Ela ia à feira, reclamava do preço do chuchu (e do melão), saía com os amigos, se divertia, não levava desaforo pra casa... enfim, uma mulher como outra qualquer do planeta, mas não seria Helena se não tivesse um grande segredo, uma falha trágica. Na verdade, ela não era a verdadeira mãe da mimadíssima Joyce (Carla Marins) e sim, sua tia, segredo que foi revelado no último capítulo. A lembrança mais forte que tenho da personagem é de seu romance com o médico Carlos (José Mayer) embalado pela voz de Gal em “Futuros Amantes” sob um Rio ensolarado e feliz.


9) CHIQUINHA GONZAGA DE “CHIQUINHA GONZAGA” (1998)


De que a vida da célebre compositora foi inspiradora e apaixonante ninguém duvida. Mas a interpretação sensível de Regina fez com que se tornasse mais fascinante ainda aos olhos do espectador. A atriz sempre interpreta muito bem esse tipo de papel: mulher guerreira, sofrida, lutadora, que dá a cara a tapa, rompe barreiras e preconceitos. Apaixonante também foi o romance da compositora com seu “mancebo imberbe” Joãozinho, vivido brilhantemente por Caio Blat. Chiquinha Gonzaga ficou conhecida pela nova geração graças à minissérie de Lauro Cesar Muniz e Marcilio Moraes e La Duarte soube defender a personagem com a maior dignidade.


8) LUANA CAMARÁ / PRISCILA CAPRICE DE “SÉTIMO SENTIDO” (1982)

Uma de minhas primeiras lembranças televisivas. Na verdade, não me lembro de quase nada da novela, a não ser de Luana Camará incorporando Priscila Caprice. Até então com 5 anos de idade, os gritos de Regina Duarte me causavam medo e fascínio. Ao meu ver, a personagem fez uma espécie de transição para o que viria depois na carreira da atriz, a inesquecível Porcina.



7) HELENA DE “POR AMOR” (1997)

Regina e a filha Gabriela em cena de "Por amor"
Praticamente uma personagem de tragédia grega, a mais polêmica das Helenas talvez tenha carregado a mentira mais grave de todas. Helena, no início, parecia uma mulher comum, alegre, que via no romance com Atílio (Antonio Fagundes) uma nova oportunidade para o amor. Amor que não foi mais forte do que o amor cego e irracional que ela sentia pela filha Eduarda (Gabriela Duarte) chegando ao ponto de trocar o bebê morto da filha pelo seu filho saudável que acabara de nascer para que a filha não sofresse. Uma verdadeira leoa, capaz de tudo para preservar a cria. Quando Atílio descobriu toda a verdade, disse a Helena uma das frases mais emblemáticas da história da teledramaturgia: “você não sabe amar, mas pode aprender”. Obra prima de Manoel Carlos e mais um show de interpretação de Regina Duarte.


6) MALU DE “MALU MULHER” (1979)



Temas que, às vezes, nos parecem tão distantes, mas ainda tão presentes na sociedade como a violência contra a mulher, a questão do divórcio, independência feminina, mulher no mercado de trabalho... assuntos que parecem banais hoje em dia na época eram tabus que foram quebrados por Malu, emblemática personagem que Regina Duarte, mais uma vez, defendeu com garra e vigor e que representa um divisor de águas em sua carreira, dando um adeus definitivo ao eterno título de namoradinha do Brasil e adquirindo um respeito cada vez maior como uma de nossas mais importantes atrizes. Viva Malu!


5) CLÔ HAYALLA DE “O ASTRO” (2011)

Não resisti e beijei Clô na exposição da carreira da atriz
Como não incluir essa linda na lista? Claro, que, por motivos óbvios, Clô Hayalla sempre vai fazer parte da minha lista de personagens favoritas da atriz, mas independente disso, a matriarca dos Hayalla é o melhor personagem de Regina em anos. Louca, passional, impulsiva, vingativa, Clô já seria um prato cheio para qualquer atriz. Em se tratando de uma atriz superlativa como Regina Duarte, o prato cheio se transforma em um verdadeiro banquete, que ela oferecia diariamente a um público fiel e apaixonado na forma de uma atuação que dava o tom arrebatado e melodramático da novela de Janete Clair adaptada por Alcides Nogueira e Geraldo Carneiro. Verdadeiro show em cena e um talento monstro, que pude comprovar de perto. Uma atriz genial que consegue dar cores e texturas ao texto que surpreende até mesmo os autores.


4) MARIA DO CARMO DE “RAINHA DA SUCATA” (1990)


Prima da Viúva Porcina, Maria do Carmo também era uma força da natureza. A filha de sucateiro que transformou o negócio do pai em um verdadeiro império arrebatou o Brasil e chamava a atenção para o início da ascensão da classe média tão valorizada nos dias de hoje. Os novos ricos estavam tomando conta do Brasil e Maria do Carmo era a representante dessa classe emergente versus a decadência da aristocracia, representada por Laurinha Figueiroa, brilhantemente interpretada por Gloria Menezes. O choque entre esses dois mundos e o duelo dessas duas grandes atrizes renderam momentos antológicos de nossa teledramaturgia. Maria do Carmo era deliciosamente cafona, adorava ostentar sua riqueza e Regina estava muito à vontade em cena. A atriz parecia estar se divertindo tanto quanto o público. Já estou contando os dias para rever a sucateira em 2013 no Canal Viva.


3) RAQUEL DE “VALE TUDO” (1988)


Tudo bem que Odete Roitman e Maria de Fátima se eternizaram como duas das maiores vilãs de todos os tempos, mas se a novela tem uma alma, essa alma é a de Raquel Accioly, que ganhou através de Regina Duarte uma das interpretações mais viscerais da história da teledramaturgia. O Brasil chorou, sofreu, se emocionou com Raquel e também foi à forra na catártica cena em que a personagem, aos gritos, rasga o vestido de noiva da filha na véspera do casamento. Raquel simboliza a mulher brasileira e o espírito guerreiro do nosso povo, mostrando que vale a pena, sim, ser honesto no Brasil. Um papel perigoso, que tinha tudo pra cair no estereótipo, mas a personagem, cheia de nuances, foi muito bem construída pelos autores e muitíssimo bem defendida por La Duarte. Impossível ver alguém vendendo sanduíche na praia e não se lembrar da batalhadora Raquel.


2) SIMONE DE “SELVA DE PEDRA” (1972)

Regina Duarte e Francisco Cuoco em cena da novela
Mesmo não fazendo parte de minha memória afetiva, essa importante personagem não poderia ficar de fora, pois até hoje Simone Marques representa o protótipo de heroína em nossas novelas. E já há 40 anos atrás, Janete Clair construía uma mocinha nada boba, que tinha uma profissão, ia à luta por seus objetivos e dava a volta por cima, jurando vingança a seus inimigos. E Regina, ainda muito jovem, soube dosar doçura e força na medida certa e conquistou definitivamente o coração dos brasileiros. Impossível não se comover nas cenas românticas de Simone e Cristiano (Francisco Cuoco) ao som de “Rock and roll lullaby”, tema romântico mais emblemático da história de nossa teledramaturgia.


1) VIÚVA PORCINA DE “ROQUE SANTEIRO” (1985)


Pense em todos os adjetivos superlativos. Talvez ainda seja pouco para definir Porcina. Escandalosa, exuberante, fogosa, irreverente, sensual, lasciva e politicamente incorretíssima, a personagem significou um giro de 180 graus na carreira da atriz, acostumadas a tipos mais delicados e sofredores. Na pele da operística viúva que foi sem nunca ter sido, Regina já não precisava provar nada pra ninguém há muito tempo, mas mesmo assim provou que é capaz de absolutamente TUDO em se tratando da arte de representar. Na célebre trama criada por Dias Gomes, Porcina era um verdadeiro carrossel de emoções, indo das cenas mais dramáticas às mais irreverentes: um verdadeiro manancial para as impagáveis caras e bocas da atriz. Graças à Regina Duarte, Porcina virou dona, não só do coração de Roque (José Wilker) e Sinhozinho Malta (Lima Duarte), mas de todos os brasileiros.


MENÇÕES HONROSAS:

Ø  ANDRÉA, DE “VÉU DE NOIVA” (1969)
Ø  RITINHA, DE “IRMÃOS CORAGEM” (1970)
Ø  PATRICIA, DE “MINHA DOCE NAMORADA” (1971)
Ø  CECÍLIA, DE “CARINHOSO” (1972)
Ø  NINA, DE “NINA” (1977)
Ø  SHIRLEY, DE “INCIDENTE EM ANTARES” (1994)
Ø  HELENA, DE “PÁGINAS DA VIDA” (2006)


___________

MELÃO APROVEITA PARA DESEJAR BOAS FESTAS A TODOS OS SEUS LEITORES E PERGUNTA: QUAIS SÃO SEUS PERSONAGENS FAVORITOS DE REGINA DUARTE?
______

LEIA TAMBÉM: 

Top 10 - LIMA DUARTE





13 comentários:

Carlos Fernando disse...

Simplesmente perfeito. Parabéns

aladimiguel disse...

Oi Amigo Vitor

Regina é a TELENOVELA em pessoa. Todas as obras que você citou em sua análise são maravilhosas. Eu fico com o quarteto fantástico Selva de Pedra - Roque Santeiro - Rainha da Sucata - Vale Tudo. Adoro essas atuações da nossa namoradinha. abçs

Ivan disse...

Regina é luz é raio, estrela e luar! adorei o post e esse trecho ''A Helena mais “gente como a gente” de todas. Ela ia à feira, reclamava do preço do chuchu (e do melão)" hahahahhah bjão!

Lulu disse...

Oi Victor. Belo post em homenagem a eterna namoradinha do Brasil. Regina Duarte foi homenageada ano passado com o troféu Mario Lago e eu destaco os papeis de Viúva Porcina, Raquel de Vale Tudo que são os meus favoritos.
Feliz Natal pra vc. Muita paz e felicidades.
Big Beijos

Edison Eduardo d:-) disse...

Ah, Vitor! Assim não vale, né?

Bom, não gosto muito de falar na Regina, não, pq eu sou suspeito... Aliás, SUSPEITÍSSIMO! Já rasgo toda a seda pra ela MESMO lá no blog e ela, dona de uma categoria e carisma inegáveis, merece com certeza! Isso e muito mais...

Eu faria algumas mudancinhas mas, como sua blogada está ESTUPENDA e é uma homenagem, vou apenas aumentar a lista de menções honrosas. Quero citar:

A Alma, participação relâmpago na primeira versão de "Guerra dos Sexos" mas que deu o que falar na época (eu me lembro muito bem);

A Waldete, com W, que foi praticamente o alicerce da novela "Três Irmãs". Uma interrogação pairava nas mentes dos telespectadores e a Waldete até patinou um pouco pelo meio do caminho mas, no fim, houve a constatação que foi ela quem não deixou a novela ser um fiasco total!

A Malu, participação especialíssima na série "As Cariocas", episódio com Sônia Braga e Antônio Fagundes. Uma Regina safadinha desfilou nas telinhas que a consagraram como a moça totalmente pura, frágil e submissa. Alguém percebeu algo que chamasse a atenção no casal Sônia e Fagundes?

Aquele abraço! PARABÉNS mais uma vez a vc e o trabalho no blog. Aproveito e deixo os meus mais sinceros votos de um ÓTIMO Natal e um 2013 ainda mais próspero que o ano que passou!

Edison Eduardo d:-)

Sérgio Santos disse...

Vitor, fechou o ano com chave de ouro mesmo. Regina Duarte é maravilhosa e um ícone das novelas. Resumir 50 anos de carreira citando apenas algumas personagens não é tarefa fácil e você selecionou os melhores papéis mesmo.

Helena de Por Amor foi inesquecível, assim como a Viúva Porcina, Raquel, Maria do Carmo, e, claro, Clô Hayalla! Sou fã de todas elas.

Feliz Natal pra você também e tudo de melhor sempre. Abraços.

RÔ_drigo disse...

Texto saborozerrimo pra definir cada uma...E namoradinha do Brasil é pouco pra defini-la,rs!

Danielle Carvalho disse...

Olá, Vitor.

Ótimo trabalho! Como a Regina tem personagens emblemáticas por atingirem todo o espectro de emoções, não? Da danadinha Malu das "Cariocas", como o Edison bem apontou, que deu cor a um episódio comportadinho da série, à mãe-mulher matizada Raquel de Vale Tudo, à personagem histórica Chiquinha Gonzaga, que ela leva adiante com um emocionante respeito, ao turbilhão que é a Porcina (minha musa absoluta da telenovela...). Você conseguiu apreender bem, ao longo do post, a variedade/qualidade do trabalho dela!

Abraços e tenha um ótimo final de ano e entrada de 2013.
Danielle

Fabio Dias disse...

Como gosto das listas do Melão, onde a gente encontra os textos mais saborosos e deliciosos da blogsfera. O nome desse blog é perfeito! (AMO MELÃO) hahahaha

Regina merece ser reverenciada sempre, um verdadeiro ícone na teledramaturgia!! A Helena de Por Amor na carreira dela é a minha favorita também.

Sempre que leio um texto daqui, lembro-me de quando eu descobri esse espaço. Fiquei horas e horas lendo. Era e é muito gostoso ler seus textos Vítor! Palavras sinceras!

Parabéns amigo e um Feliz Natal!!
Beijos

Monique de Andrade Dantas disse...

Vitor, amei o TOP 10 com as personagens da minha DIVA MOR Regina Duarte! Concordo plenamente com a lista e é dificílimo escolher apenas 10 personagens. Eu escolheria 20 personagens marcantes da grandiosa carreira de Regina. Realmente é um presentão de Natal para todos os fãs dela e da teledramaturgia brasileira! O Melão fechou o ano em grande estilo!!! Bjos e muito sucesso em 2013!!!

ChrisKeller disse...

òtimo o top, no entanto descordo que a Helena de Por Amor. A mesma deveria liderar o top, pois foi o trabalho mais deslumbrantes da Regina!

Ana Luísa Moura disse...

Incrível post Vitor!

Realmente fechou com chave de ouro o ano!
Soubestes descrever impecavelmente cada personagem que a Regina, com seu imenso talento, nos cativou.
É uma carreira brilhante, e também sou suspeitíssima pra falar! Sou fã da diva desde os meus seis anos de idade quando passava Por Amor no Vale A Pena Ver De Novo, em 2002, se não me engano. Eu era pequena, mas a Helena da Regina me marcou intensamente.

Depois vieram outros personagens, e continuo acompanhando a trajetória dessa atriz e pessoa incrível que ela é, merecedora de todo respeito e admiração!

Adorei o blog, ganhou mais uma leitora assídua! :D

Feliz Natal e ótimo Ano Novo!

Ana Luísa


Emerson Felipe disse...

Que top 10 maravilhoso de uma atriz maravilhosa!Regina Duarte é ícone absoluto, digna de todas as honras. Emociona e faz rir com suas mais distintas personagens, desde suas fortes Helenas de Por Amor e História de Amor à maravilhosamente escandalosa Viúva Porcina, passando pela passional Clô Hayalla. Minha personagem preferida dela é a batalhadora Raquel de Vale Tudo, que é ainda a minha protagonista favorita de toda a teledramaturgia. E já ansioso pela sucateiraaaaaaaa Maria do Carmo no Viva!

Prefira também: