segunda-feira, 28 de junho de 2010

#DiaComReflexão




Aplausos para a mania do momento: o Twitter! Ele tem se mostrado uma eficiente e poderosa ferramenta e dá voz para quem tem algo a dizer (e também para os que não têm), mas que não estão inseridos em nenhum contexto institucional, ou seja, é o que temos mais próximo do (ainda distante) ideal de democracia que deveria reger nosso país. Prova de sua força foi a campanha “Cala a boca Galvão” que fez com que o mundo inteiro se voltasse para nosso país ou várias notícias que são noticiadas por ali muito antes de sites ou emissoras de TV. Mas não sei se, pela novidade do veículo, por empolgação coletiva ou pela irremediável tendência do ser humano para “atirar as primeiras pedras”, caçar bruxas ou fazer justiça cega, acontecem alguns equívocos sem que haja um mínimo de reflexão a respeito deles, como a mal fadada campanha #DiaSemGlobo. Claro que muitos embarcaram na onda por empolgação e abutres se aproveitaram sem êxito para angariar alguma audiência com isso. Não estou querendo defender emissora “A” ou “B” e nem estou cego à chamada manipulação involuntária dos veículos de massa, mas convenhamos... qual era o objetivo real dessa campanha? E caso ela emplacasse, quais seriam as conseqüências?

O brasileiro, movido pelo senso comum, tem uma incompreensível mania de se voltar contra suas próprias forças. Nunca soube de alguma notícia de alguma mobilização norte-americana contra a Coca-Cola ou contra O Mc Donalds, por exemplo. Vide o caso da (quase) finada Varig. Defeitos à parte, ela era uma força brasileira que fazia diferença lá fora. O Governo virou as costas para a crise da voadora. Não houve um mínimo de mobilização popular em prol de seu salvamento. Resultado: a maioria dos vôos internacionais que ela operava foi para as empresas aéreas estrangeiras, uma vez que nem a GOL, nem a TAM possuem poder e cacife suficientes para assumir as linhas perdidas pela Varig. Sem contar os milhares de funcionários demitidos e até hoje sem pagamentos e indenizações a que têm direito. Perdeu a Varig. Perdeu o Brasil. Perdemos nós.

Pois bem. De que adianta um dia sem Globo? Sem ela, o que nos resta? A Globo é a quarta maior emissora do mundo. Sem ela, talvez não estaríamos nem entre as cem. Acho válido e digno protestar contra, mas a destruição pela destruição no melhor estilo dadaísta não leva a nada. E a Globo não obriga ninguém a prestigiar sua programação. Pelo contrário: sempre que algo de qualidade ou interesse superior na TV aberta me chama a atenção, sou o primeiro a trocar de canal. E muitas vezes a Globo é líder mais pelos deméritos das demais do que por méritos próprios. Boa ou má, a Globo gera milhares de empregos, eleva o nome do nosso país lá fora e suas concorrentes (verdade seja dita) ainda estão a anos-luz da qualidade que ela oferece em sua programação.

Não acho que a solução seja fecharmos os olhos para os defeitos, mas combatê-los com um mínimo de reflexão e racionalidade. Por que os twitteiros, ao invés do oba-oba irresponsável, não se ocuparam em promover um debate mais aprofundado dos prós e dos contras da emissora em questão, seu papel no universo midiático brasileiro e as possíveis implicações de seu declínio? Tomar posição é digno e produtivo, mas senso crítico é fundamental.


5 comentários:

TH disse...

O injustificável motivo dos que aderiram a campanha foi taxado de "força manipuladora da Rede Globo". A despeito da veracidade de manipulação na história da emissora, duvido que algum deles já passou, na vida, um dia sem assistir algum de seus programas. Ela faz parte de nossa história e, querendo ou não, para amantes de teledramaturgia, é a mais atuante e procura sempre se aprimorar. 2010 foi um grande ano em termos de novas produções globais: Na Forma da Lei, Separação?!, Vida Alheia...quem mais no Brasil contribui com mais combustível pra dramaturgia do país? É coisa de brasileiro mesmo: achar a janela do vizinho bem mais atraente e desvalorizar seus próprios artigos de luxo...

Amanda Aouad disse...

Essa onda no Twitter é mesmo algo a ser estudado e pensado. Depois do sucesso do Cala Boca Galvão, acho que as pessoas ficaram desesperadas para criar outro hit, veio Ana Maria Braga, Raul Gil, Tadeu Schmidt... O tal #DiaSemGlobo foi mais uma onda boba, dúvido que alguém tenha realmente aderido. Há muitas coisas contra a Rede Globo, principalmente se levarmos em conta a manipulação de notícias, mas qual a imprensa que não faz o seu recorte? Alguém acha sinceramente que Record, Band ou SBT também não manipulam? Ou NCB, CCN, etc?
Concordo que temos que nos orgulhar de uma das maiores emissoras do mundo. Sem demagogia.

Carlos Fernando disse...

Você está coberto de razão. Muito bem dito e muito bem observado. Mas o que se esperar de um pessoal que só quer "Oba-oba", segue sem saber o que exatamente está seguindo e repetem como papagaios. Nada!! Você acha que eles pensam? A grande maioria não! Que o mundo virtual Orkut, MSN, Twitter, etc trouxe uma nova forma de comunicação e é um avanço não existem dúvidas, mas é uma ferramenta e como tal podemos fazer bom ou mal uso. A tesoura que pode salvar vidas também pode tirar. Depende de quem a usa.
E como você disse e eu ressalto: A Globo é lider não só pela sua competência e sim pela INCOMPETÊNCIA das outras TV's.
Como brincadeira vou sugerir aos twitteiros: façam o dia sem MC, sem twitter, sem eletricidade, sem internet, etc essas coisas que doem na carne deles. Talvez assim seja mais fácil identificar as burradas em que se metem!!!

e d d y disse...

Eu sou twitteiro de carteirinha, adoro a ferramenta, mas não aderi á nenhuma das duas campanhas. Pra quê, hein? Se eu não me identifiquei com nenhuma delas? Honestamente, estou andando para essa Copa do Mundo. Nunca fui fã de futebol, mas antes ao menos nessa época, me animava. Neste ano, não. Não vejo motivação. Não tenho estímulo.

A grande maioria dos twitteiros nem precisa disso para aderir á esse tipo de manifestação. Basta colocar um joguinho da velha ali, digitar e dar um enter. Pronto, você já está colaborando pro ''Dia sem Globo'' ou o ''Cala Boca, Galvão'' ir pros TT's. Chega a ser imbecil uma atitude dessas. Fico me perguntando ''por quê?'' ''por quê?''.... E ele não vem, simplesmente não existe. É muita babaquice junta.

A maioria esmagadora dos twitteiros são teenagers ocos (sem referência a diva do senhor Cley), ocos de idéias, de idiossincrasias. Embarcam no ''oba-oba'' coletivo pelo simples e absoluto nada. Não existe um estímulo, uma motivação. Entram na onde ''porque todo mundo está entrando''. Isso chega a ser patético.

É reflexo da juventude do país. E me preocupa, honestamente, pensar que amanhã o nosso país estará infestado de gente assim, com titica na cabeça. É o tipo de gente que se ver uma multidão se atirando num lago poluído, se atira junto pelo simples oba-oba. Sem nem ligar para as consequências.

OK, posso ter ido muito longe na analogia, mas o recado está dado. O Dia Sem Globo é reflexo da grande pataquada que se tornou esse país. É sintomático. O país está doente, frágil, vulnerável.

Desculpa aí, mas eu me recuso. Não topo #DiaSemGlobo, #CalabocaGalvão e pular num lago poluído. Tenho um cérebro e não titica.

Beijão, sociedade.

Duh Secco disse...

Meus amigos queridos já disseram absolutamente tudo. Palmas pra eles e para o seu bom senso, sempre!

Prefira também: