sexta-feira, 18 de junho de 2010

Série Memória Afetiva: 10 divas televisivas.

                                                                                                               

MEUS AMORES DA TELEVISÃO – Cresci com elas...

Chegou a hora do melão revirar seu baú e revelar mais lembranças televisivas que se confundem com a própria vida. Claro que a lista a seguir não pretende representar o senso comum, embora muito se tenha dele, afinal, todo mundo da minha geração cresceu assistindo e convivendo com essas e outras maravilhosas mulheres. Impossível alguém que não admire pelo menos uma delas. Por isso, o melão estende seu tapete vermelho e apresenta as atrizes que povoaram o imaginário deste que vos fala desde à mais tenra infância. São mais do que atrizes (afinal atriz boa é o que não falta em nosso país e a lista seria enorme): são divas, deusas, mitos que povoam nosso imaginário.

Ver um bom ator em cena é sempre gratificante, mas atrizes pra mim serão sempre imbatíveis.

Eis as minhas:

1) Betty Faria



Não é segredo pra ninguém que é minha favorita desde sempre. É muito difícil transpor em palavras o amor e a admiração que sentimos por alguém, por isso não sei dizer com exatidão por que gosto tanto dela. Talvez porque lembre minha mãe? Talvez por ser mais que atriz, na verdade, uma estrela de primeira grandeza? Talvez por ser superlativa, linda, rebelde, talentosa, sensual? Talvez por interpretar seus papéis com tanta força e entrega? Talvez por ter o biótipo que represente a síntese da mulher brasileira? Talvez por representar um certo protótipo de feminilidade? Sim, gosto de Betty faria por todos esses motivos e por mais alguns que não consigo expressar. O fato é que, a partir dos anos 70, marcou a teledramaturgia interpretando mulheres fortes, marcantes, como Lucinha, a cinderela de subúrbio de “Pecado capital” (1975) ou a estonteante e intensa protagonista de “Tieta” (1989). Na contramão dos tipos sensuais, também é capaz de encarnar tipos submissos como Antônia de “De corpo e alma” (1992) ou rainhas do lar com Amélia de “Uma rosa com amor”(2010). Enfim, Betty é minha favorita e não é a primeira vez que digo isso aqui. Mas não custa repetir sempre...


2) Glória Menezes



Um verdadeiro patrimônio de nosso país. Junto com Tarcísio Meira, forma o casal mais famoso da história da teledramaturgia. Seu rosto é tão conhecido e sua presença nas novelas tão constante que é quase impossível que algum brasileiro não a conheça. Glória é uma atriz talentosa, claro, como tantas em nosso país. Mas tem um tipo de carisma único, que faz com que se torne especial, única. Minha primeira lembrança dela é da novela “Guerra dos sexos” (1983), onde não deixava dúvidas por quem deveríamos torcer. Sempre nos dá a impressão de que interpretar é tão simples como respirar. Sua galeria de heroínas é extensa e marcante, mas quem achava que Glória se limitava a elas, teve suas duvidas totalmente dizimadas com a célebre vilã Laurinha Figueiroa, de “Rainha da Sucata” (1990) considerada por muitos como o seu melhor trabalho. Ainda hoje em uma idade em que muitas atrizes ganham papéis secundários, Glória ainda rouba a atenção do público e muitas vezes centraliza as ações como no caso de Dona Irene, de “A favorita”. Uma estrela de verdade como ela sempre estará no olho do furacão.


3) Yoná Magalhães



Dividiu com Glória Menezes nos anos 60 o posto de atriz mais popular do país e revezava com ela no papel das heroínas televisivas, fazendo par com o saudoso Carlos Alberto. De lá pra cá, manteve sua beleza. Sempre foi sinônimo de mulherão e, de certa forma, ficou aprisionada nesse estereótipo. Lembro bem dela em “Amor com amor se paga” (1984), mas foi com “Roque Santeiro” (1985), vivendo Matilde, a dona da pousada e da boate “Sexus” que tive a real noção de que se tratava de uma grande estrela. Hoje em dia vive muitos papéis de mãe, avó, vários deles aquém de sua capacidade. Mas sempre que tem chance mostra que pode centralizar as atenções como a Carmela de “A próxima vítima” (1995), a Valentina de “Meu bem, meu mal” (1990) ou como a submissa Tonha de “Tieta” (1989), papel que foi um divisor de águas em sua carreira, já que teve a chance de fugir do estereótipo de mulherão (pelo menos no início da novela), como uma mulher maltratada e sofrida, que dá volta por cima e retorna linda e poderosa ao Agreste. Ali, Yoná provou que além de estrela, é também uma grande atriz, capaz de tipos únicos e antológicos.


4) Regina Duarte

 


 O que dizer? Ela é o rosto mais conhecido da TV. A mais representativa e emblemática das atrizes. Seu título de namoradinha do Brasil passa de mão em mão por jovens atrizes de tempos em tempos, mas nenhuma com tanto brilho e expressão. O Brasil namorou carinhosa e apaixonadamente Regina durante todos esses anos e namora até hoje. Das românticas mocinhas dos anos 70, La Duarte deu uma guinada no início dos 80 com a divorciada e independente personagem título de “Malu Mulher”. Outra guinada veio com “Roque Santeiro” (1985), quando mostrou que podia fugir dos tipos sofridos e interpretar a fogosa, engraçadíssima e incorretíssima Viúva Porcina, que marcou época e até hoje povoa o imaginário de muita gente. Regina tem o poder de polarizar atenções e mobilizar o país em torno dos dilema das mulheres que interpreta. O Brasil sempre chorou, sofreu e torceu por ela. Quando Raquel rasgou o vestido de noiva da filha ingrata em “Vale Tudo” (1988), o Brasil rasgou e vibrou junto. Há quem não goste de seu estilo de representar, mas com uma coisa todos concordam: nenhuma atriz alcançou tamanha popularidade na TV como ela. Regina rainha da sucata, Regina Simone, Regina Luana, Regina Helena. São muitas em uma só.



5) Dina Sfat



Fazia um interessante contraponto com Regina Duarte em diversas novelas. Enquanto Regina representava a delicadeza e a fragilidade, ela era a força, a intensidade. Uma das batalhas mais memoráveis da TV foi em “Selva de Pedra” (1972) em que sua personagem Fernanda infernizava a vida da Simone de Regina Duarte. Pena eu não ser nascido pra presenciar tal momento. Falecida precocemente em 1989,  dois meses depois do fim de "Bebê a Bordo", em que vivia a personagem Laura. Minha primeira referência sobre a atriz veio com a Paloma de “Os gigantes” (1979). Não cheguei a assistir à novela, era pequeno demais, mas sempre ouvi minha família comentando o quão ela esteve bem na novela. Conheci Dina pra valer na minissérie “Rabo de saia” (1984) como uma das mulheres de Quequé (Ney Latorraca). De uma beleza madura, intensa, ao mesmo tempo comum e única. Seus olhos são, sem dúvida, os mais expressivos da TV. A impressão que ela passava era a que seria capaz de fazer qualquer papel. E de fato em sua carreira ela interpretou de tudo. Os mais de vinte anos em que não aparece mais na Tv não lhe tirou o título der estrela marcante e inesquecível. Todos queríamos que ela tivesse ficado um pouco mais com a gente. Mas diva é diva e permanece.


6) Lucélia Santos



Uma das mais versáteis atrizes que conheço. Suas carreiras em cinema e teatro são um caso à parte. Arrebatou o país com “A escrava Isaura” em 1976, novela responsável por apresentar ao mundo nossa teledramaturgia. Até hoje o verso “lerê lerê” da canção de Dorival Caymmi nos remete à escrava branca que sofria nas mãos de seu senhor. Mas a interpretação de Lucélia não se resume a apenas isso. Uma das qualidades que mais admiro nela é sua imensa e supreendente versatilidade: ela vai das mocinhas mais puras e ingênuas às mais lascivas e despudoradas mulheres, com muitas camadas de gradação entre estes extremos. Minha lembrança mais antiga dela em TV foi em “Guerra dos Sexos” (1983), em que interpretava a dissimulada Carolina. Ali já tive a prova de seu talento, pois não é nada fácil fazer uma diabinha que se faz de santa de maneira crível. Lucélia protagonizou durante muito tempo diversos personagens na Tv diferentes entre si. Logo após a ingênua “Sinhá Moça” (1986) deu vida á exuberante e sensual Carmem em 87. Inexplicável sua ausência da TV nesses anos todos. Em uma entrevista recente, fiquei impressionado, não só com sua seriedade e seu profissionalismo, mas também com sua capacidade de realização e a assertividade de suas opiniões. Sem dúvida, uma mulher forte e admirável e uma das mais camaleônicas de nossas atrizes. Que seu retorno à Tv (em grande estilo) seja breve.


7) Glória Pires


Seu nome é sinônimo de qualidade desde sempre. A mais sucedida de todas as atrizes mirins. Cresceu diante dos olhos do público e se agigantou a cada trabalho até se tornar a melhor atriz de sua geração. Disputada por todos os autores, Glória Pires nunca teve a delicadeza de uma Regina Duarte, a sensualidade de uma Sonia Braga, nem a expressividade de uma Dina Sfat. Ao contrário, fisicamente é um tipo bem comum. Por isso mesmo consegue transitar por todos os tipos e personalidades com uma facilidade única. Meu “apaixonamento” por ela foi com a sofrida Ana Terra em “O tempo e o vento” (1984). Mesmo aos sete anos, ficava vidrado diante da tela porque sabia que ali estava uma atriz especial. Ana Terra quase não tinha texto. Falava pouco. A atriz se garantia muitas vezes no olhar, no gestual, na expressão. E o que dizer de Maria de Fátima de “Vale Tudo” (1988)? Hoje em dia em que vilãs estereotipadas e maniqueístas caem nas graças do público, Gloria soube, na época, interpretar com maestria essa vilã controversa e humana e, por isso, mesmo, muito mais difícil. Aliás, não há desafio que Glória não vença. Em “Mulheres de areia” conseguia interpretar quatro tipos diferentes: Ruth, Raquel, Ruth fingindo ser Raquel e Raquel fingindo ser Ruth. Sabe ser vulgar como Sarita em “Mico Preto” (1990), retraída como Julia em “Belíssima” (2006), guerreira e rude como Maria Moura (1994)... Dona de imensas potencialidades, nunca apresenta um trabalho menos do que magistral.


8) Maitê Proença


Essa não poderia faltar em minha lista porque foi minha primeira referência de beleza. Quando a vi em “Guerra dos sexos” imaginava que não existia mulher mais linda no mundo inteiro. Até hoje, essa dúvida paira sobre mim. Sua presença na tela é sempre luminosa. Atualmente é destaque em “Passione” como Stela, espécie de belle de jour devoradora de ninfetos que, ao mesmo tempo é devotada à família e aos filhos. Muitos torcem o nariz para suas qualidades interpretativas. Nunca foi o meu caso. Sempre acho que atrizes muito bonitas sofrem um pouco de preconceito, até mesmo porque seu tipo físico já limita muito a variedade de personagens. Por isso destaco dois momentos: a sofrida e apagada Clara de “Torre de Babel” (1998), em que a beleza da atriz esteve em segundo plano e ela teve a oportunidade de protagonizar cenas fortes e intensas com Tony Ramos com extrema competência; outro momento foi os episódios de “A vida como ela é” (1996), em que Maitê pôde interpretar todo tipo de papel, incluindo feias e putas. Atualmente, tem arrancado elogios sua produção literária e autoral em teatro. Seja da maneira que for, Maitê sempre será, pra mim, um ótimo motivo pra ficar diante da telinha.



9) Claudia Raia



Estrelíssima! Principal herdeira das vedetes do teatro rebolado, é a mais hollywoodiana de nossas estrelas. Dona de pernas que fizeram (e fazem) o Brasil parar, La Raia é o que chamamos de “mulher-gay”: esfuziante, expansiva, um furacão por onde passa. A primeira novela da qual participou, “Roque Santeiro” (1985), explorou ao máximo sua sensualidade. Mais tarde, em “Sassaricando” (1987), mostrou inegável talento cômico como a analfabeta Tancinha e seu bordões “eu me tô tão divididinha” e (que orgulho!) “me olha os melão” (adoooro...rs!). Esse dom pra fazer rir decolou de vez com a TV Pirata (1988), em que interpretou a presidiária Tonhão, que nem de longe lembrava as mulheres sensuais que viveu. Fera na comédia, no musical, no drama, no romance, é talento pra mais de metro.


10) Malu Mader


Malu Mader talvez seja o rosto mais popular entre os jovens nos anos 80. Seus traços não-convencionais constroem uma mulher linda, que sabe ser sexy e sabe ser doce. Malu tem aquela qualidade de grandes estrelas, o chamado carisma, que faz com que todo mundo torça por ela e compre suas brigas, por isso, é quase impossível vê-la como vilã. Conheci a atriz melhor como a patricinha Wal de “Ti-Ti-Ti” (1985) e mais tarde como a ingênua Lurdinha, de “Anos dourados” (1986), minha minissérie favorita até hoje. Quase uma pivete em “O outro” (1987) como Glorinha da Abolição, sensual e vingativa como Claudia em “Fera Radical” (1988), linda mocinha clássica como a modelo Duda em “Top Model”, só tem graça em ver Malu se ela for a estrela. Gilberto Braga que o diga: nenhuma atriz ganhou tantas protagonistas em suas obras quanto ela, sempre bela e luminosa. Charmosíssima, talvez o que a faça ter empatia com o público é uma certa naturalidade com a qual interpreta, que nos faz pensar que ela poderia ser nossa vizinha, nossa amiga. Como diz meu amigo Ivan, Malooosho. E ponto final!
________________________________________

E vocês? Quais os seus amores da televisão?
___________________________


Leia também:

Série Memória Afetiva: grandes damas da televisão

25 comentários:

Eu, Wesley disse...

Minhas divas favoritas:
Claúdia Raia - poderosa e absoluta.
Malu Mader - linda e forte
Glória Pires - genial e arrebatadora
Regina Duarte - namoradinha asbsoluta
Yoná Magalhães - esplendorosa rs
Myrian Rios - doce e romântica (apesar de poucas novelas que vi com a sua participação)
Lucélia Santos - talento puro

Walter disse...

Claro que a Peth tinha que ser a primeira né Thiapinho! kkkk
Além dessas, me marcaram a Lidia Brondi, Débora Evylin, Tássia Camargo e Sandra Bréa.
Abraços,
Cerqueira

Eddy disse...

Muito justa, a lista... com Petty encabeçando... rs! Também gosto bastante de La Raia e Dina Sfat, que conheci durante a minha reprise particular de Bebê a Bordo. Grande atriz, de extrema sensibilidade. Conseguiu se adequar perfeitamente aquele texto ágil e engraçado do Lombardi e lamento profundamente a sua perda, era um bálsamo assisti-la.

Só senti falta da Isabela Garcia, a mocinha de Bebê a Bordo, que bombou nos anos 80 com papéis de destaque em Anos Dourados, Roda de Fogo, protagonizou O Sexo dos Anjos, enfim.

cristian-monteiro disse...

Muito boa a lista, as minhas favoritas são:
Malu Mader, Claudia Raia, Gloria Pires e Gloria Menezes, mas todas são ótimas...

Walter de Azevedo disse...

Minha listinha

1- Christiane Torloni
2- Betty Faria
3- Dina Sfat
4- Glória Menezes
5- Malu Mader
6- Natália do Valle
7- Maitê Proença
8- Glória Pires
9- Maria Zilda
10- Silvia Pfeifer

Listinha das minhas Divas, mistura de talento ou beleza...ou ambos hehe.

M@rquinhos Vit@l disse...

Oi Vitor, gostei muito de todas as suas preferidas, somnete adoraria que fizesse parte a Natalia Do Valle e a Christiane Torloni - minhas favoritas.

M@rquinhos Vit@l disse...

Gosto da Eva Wilma também - eu era muito pequeno ainda quando passou a primeira versao de mulheres de areia, ainda nem gostava de novela - porém nao cosnigoi esquecer daquele rosto lindo que ela tinha quando de vez em quando pasasva pela sala e via a minha mae assisrindo a novela...

O Vitor viu... disse...

De fato, Marquinhos, Eva Wilma é a ausência mais sentida da lista. Tb admiro a Torloni e a Natalia, mas precisava instituir critérios e num país com tanta atriz talentosa, a lista passaria fácil de 100..rs! Foi um sacrifício fechar só nessas dez. Obrigado pela visita. Abs!

Amanda Aouad disse...

É... Eu ficaria com

1 - Dina Sfat
2 - Cláudia Abreu
3 - Malu Mader
4 - Christiane Torloni
5 - Maitê Proença
6 - Glória Pires
7 - Eva Wilma
8 - Glória Menezes
9 - Yoná Magalhães
10 - Lílian Cabral

Raul disse...

DRICA MORAES é a minha divaa nª 1, sem dúvidas nenhuma! Ela é linda, talentosa é muito versátil, passa da comédia ao drama incrivelmente! Sou muito seu fã, e desejo muita luz pra ela neste momento difícil de sua vida. Espero muito ancioso a sua volta ás novelas.

A lista completa:
- Drica Moraes
- Regina Duarte
- Aracy Balabanian
- Laura Cardoso
- Lília Cabral
- Elizabeth Savala
- Eva Wilma
- Ana Lúcia Torre
- Nicette Bruno
- Jussara Freire

aladimiguel disse...

OlÁ Amigo
Sua lista tá maravilhosa! Segue a minha

Lucélia Santos
Regina Duarte
Sonia Braga
Elisabeth Savalla
Nívea Maria
Betty Faria
Malu Mader
Glória Pires
Cláudia Raia
Lídia Brondi
Maitê Proença

Duh Secco disse...

Post ótimo, Vitinho! Me fez pensar nas mulheres que enchiam os meus olhos nos anos 90, ali, quando comecei a ver televisão. Não consegui escolher 10. Acabei ficando com 12.

12 - Maria Zilda (De Corpo e Alma)
11 - Débora Bloch (As Pupilas do Senhor Reitor)
10 - Arlete Salles (Pedra Sobre Pedra, Fera Ferida, Tieta)
09 - Cláudia Abreu (Anos Rebeldes, Pátria Minha)
08 - Cláudia Ohana (Vamp)
07 - Sílvia Pfeifer (Meu Bem Meu Mal, Perigosas Peruas)
06 - Glória Menezes (Deus nos Acuda, Rainha da Sucata)
05 - Joana Fomm (Vamp, Fera Ferida)
04 - Suzana Vieira (Mulheres de Areia, Fera Ferida)
03 - Natália do Vale (Cambalacho, Olho no Olho)
02 - Glória Pires (O Dono do Mundo, Mulheres de Areia, Memorial de Maria Moura)

A primeiríssima tinha que ser Malu Mader. Diva, desde sempre. Das reprises de Top Model e Fera Radical, até as “inéditas” O Dono do Mundo, Anos Rebeldes e O Mapa da Mina. Amor a primeira vista!

Josué Palácios disse...

Linda e bem elaborada a sua lista, atrizes maravilhosas não faltaram nela. Tenho carinho especial por cássia Kiss e Lília Cabral e destaco a minha querida Gloria Pires a qual faço uma singela homenagem a ela no blogspot:
www.memorialgloriapires.blogspot.com

TH disse...

ÓTima lista, Vitinho. Melhores ainda os comentários sobre as contempladas - a maioria das suas eleitas também reside na minha memória afetiva em diversos trabalhos.
Na realidade, minhas atrizes favoritas não chegam ao status de DIVAS como as suas mas não deixam de ter seu reconhecimento em inumeros trabalhos, vida Cássia Kiss, Patricia Pillar, Letícia Sabatella, Lilia Cabral, Maria Zilda...dentre muitas outras!

Denis Ferreira disse...

Muito boa sua lista.
Lá vai a minha:

10ª Mariana Ximenes
9ª Betty Lago
8ª Giovanna Antonelly
7ª Marjorie Estiano
6ª Taís Araújo
5ª Betty Faria
4ª Renata Sorrah
3ª Susana Vieira
2ª Regina Duarte
E a primeiríssima: Glória Pires

Abraço!

Degustador disse...

Lista pessoalíssima e feita por livre associação de memórias infantis:

1 - Sônia Braga (a mulher primordial em Gabriela);
2 - Glória Menezes (a força em Pai Herói);
3 - Sandra Bréa (lindíssima em Elas por Elas);
4 - Aracy Balabanian (já foi mocinha um dia: Pecado Rasgado);
5 - Regina Duarte (me assombrava em Sétimo Sentido);
6 - Dina Sfat (sempre tive medo, na malfadada Os gigantes foi a única a obter elogios);
7 - Bruna Lombardi (a bela dos 70 e 80, e ainda foi Diadorim);
8 - Glória Pires (de antipática a ícone, em novelas, começa a ser respeitada em Direito de amar);
9 - Fernanda Montenegro (em Brilhante e Guerra dos Sexos me ensinou que havia atrizes chiques no Brasil);
10 - Lucélia Santos (Isaura, mas me marcava mais pela ousadia da carreira cinematográfica)
...e...
11 - Nádia Lippi (questão de geração, kkkkkkkk)

williampetro disse...

Ótima sua lista, mas aí vai a minha:
1-Lília Cabral
2-Vera Fischer
3-Maria Padilha
4-Paula Lavigne
5-Alexia Dechamps
6-Nathalia Thimberg
7-Marieta Severo
8-Malu Mader
9-Glória Pires
10-Isabela Garcia

O Vitor viu... disse...

Nem todos entenderam direito que o post diz respeito às maiores estrelas da Tv e não às atrizes de sua preferência, mas agradeço a todos que comentaram. Adorando e me divertindo...rs!

Vicente disse...

Me perdoe por fugir ao assunto, Vitor, mas já que vc falou em memória, a minha foi ativada e cabe aqui uma pergunta: cadê a prometida entrevista com a Renatinha Dias Gomes? Aliás, vale aqui uma dica aos aspirantes a roteiristas (ou colaboradores) para que visitem o seu (dela) último post no bloglog!

Em tempo, um pedido: não deixe de agendar uma futura entrevista com o Gustavo Reiz, autor da próxima minissérie da Record: "Sansão e Dalila". Quem sabe pra depois da estréia... Tenho notado que volta e meia vc dá uma passadinha lá pelo twitter dele, rssss. Gostaria muito de conhecer um pouco mais desse jovem talento, aqui de Niterói... E acredito que não seja o único!

Abraços

O Vitor viu... disse...

Caro Vicente,
Conforme disse em algum comentário anterior, as perguntas para a Renatinha foram enviadas antes do nascimento do filho dela e ela tentou de tudo para respondê-las antes do parto, o que infelizmente não aconteceu, como eu previa. Ela já pediu desculpas e está ciente de que está devendo as respostas e disse que as enviará assim que encontrar tempo. Como você também é frequentador do blog dela, talvez ela possa te responder quando pretende enviar as respostas caso você pergunte.
__________________

Quanto à entrevista com o Gustavo Reiz, sugestão anotada. Obrigado por sempre prestigiar o melão. Vc também possui um blog? Se não já pensou em ter um também? Você é sempre cheio de ideias e escreve bem. Penso que poderia obter sucesso com isso. Fica a dica. Um abraço.

Vicente disse...

É uma grande honra pra mim ler essas suas palavras, Vitor. Principalmente vindas de alguém com o seu currículo!

Para quem cresceu sempre envolvido com os jornais de escola, talvez este fosse até uma caminho natural, mas não tenho e nunca tive a pretensão de ter um blog. Confesso que até fiquei surpreso com o seu comentário a respeito. Mas acredito que, ao menos por enquanto, não seja esse o meu caminho. Acho que tenho uma alma mais de colaborador do que de titular - se é que vc me entende - e ainda muito o que aprender. De qualquer forma, agradeço a dica e, principalmente, os elogios. Além do mais, enquanto existirem blogs tão maravilhosos quanto o melão, não vejo a necessidade de me aventurar por esta seara... rsss

Quanto a ser sempre cheio de ideias, não tenho como negar e confesso que sofro dessa "doença" desde criancinha. Quem sabe um dia encontre a cura ou pelo menos o remédio certo pra ela! rsss

Um grande abraço.

Agnaldo Xavier disse...

Entre os meus amores da televisão tem muitos homens.

Lauro Corona, Paulo Casteli, Reynaldo Gianechini, Tony Ramos,Marcos Palmeira, Marco Nanini, Leonardo Brício.

E entre as mulheres, tem uma quantidade enorme de ostras, que eu amo: Rosana Garcia, Nadia Lippi, Lidia Brondi, Fernanda Torres, Marisa Orth, Ana Paula Arósio, Regina Duarte, Gloria Pires e Debora Bloch.

Não tem nada a ver com talento, mas com algo entre beleza, carisma e outras que só Freud explica.

Agnaldo Xavier disse...

Mas já que o post é para as maiores atrizes da tv. Aqui vão as minhas.
1- Dina Sfat;
2- Regina Duarte;
3- Gloria Menezes;
4- Isabela Garcia;
5- Gloria Pires;
6- Elizabeth Savalla;
7- Malu Mader;
8- Claudia Abreu;
9- Zilka Salaberry;
10- Cinira Camargo.

É isso... eu acho

Fábio Leonardo disse...

Lista muito justa! A minha é encabeçada por Malu, Glória, Regina e La Raia.

Maurício Ferreira disse...

Adorei sua lista Vitor, achei que você foi imparcial, justo e descreveu bem as nossas divas, que não são poucas! Como você mesmo disse não são as minhas atrizes preferidas, são as maiores divas, lá vai minha humilde opinião:
1-Regina Duarte (reinando sempre absoluta!!!)
2-Eva Wilma
3-Rosa Maria Murtinho (que você esqueceu na sua lista!!!)
4-Susana Vieira
5-Glória Menezes
6-Glória Pires
7-Yara Cortes
8-Lília Cabral
9-Carolina Ferraz
10-Dinah Sfat (que infelizmente não conheci mas ouço desde sempre minha mãe dizendo que ela era incrível!)

Prefira também: