quarta-feira, 6 de abril de 2011

Sinhá Moça comemora 25 anos!


"O Arquivo Lucélia Santos  (Por Aladim Miguel) promove um "pool" inédito entre os blogs especializados em teledramaturgia para a comemoração do Jubileu de Prata da clássica versão de "Sinhá Moça". O melão, claro, não poderia ficar de fora dessa e abre espaço para nosso querido Aladim relembrar esse, que foi um dos grandes sucesso da carreira de sua querida Lucélia Santos. Parabéns a essa inesquecível novela!


O IMPACTO DE “SINHÁ MOÇA
(Por Aladim Miguel)



O romance “Sinhá Moça”, de Maria Dezonne Pacheco Fernandes (1910-1998), foi primeiramente adaptado para o cinema, com sucesso, em 1953 pelos estúdios da Vera Cruz e tendo Eliane Lage e Anselmo Duarte nos papéis centrais com direção de Tom Payne. Mas foi em 1986 que o romance tornou-se muito popular com a ótima superprodução adaptada por Benedito Ruy Barbosa (com colaboração de sua filha Edmara Barbosa) para o clássico horário das seis da TV Globo, que retornava ás novelas de época - que havia produzido tantos sucessos nos anos 70 sob a batuta do diretor Herval Rossano – estilo que havia sido abandonado em 1981, com a adaptação de Walter George Durst para o romance de Jorge Amado, “Terras do Sem Fim”.  O diretor Nilton Travesso assumia o comando do núcleo e convidou os diretores Jayme Monjardim e Reynaldo Boury para comandar a trama. Antes da estreia no Brasil, “Sinhá Moça” já tinha sua venda reservada para mais de 50 países, todos atraídos pela presença da dupla exportação formada pela atriz Lucélia Santos e pelo saudoso ator Rubens de Falco (1931-2008), hoje em dia ela já foi vista em mais de 90 países 
do mundo inteiro.


A trama, situada em Araruna (SP) em 1886 contava a história da meiga e doce Sinhá Moça (Lucélia Santos, em mais um momento iluminado de sua carreira), ou Maria das Graças, que enfrentava com toda coragem seu pai, o temido escravocrata Coronel Ferreira (Rubens de Falco, ótimo em sua atuação segura), o Barão de Araruna, em defesa dos escravos e a favor da abolição. Em seu regresso, de trem, á sua cidade natal ela conhece e se interessa pelo advogado Rodolfo (Marcos Paulo), que se passa por escravocrata para tentar impressiona - lá, mas na verdade esconde o seu envolvimento com os movimentos em defesa da libertação dos escravos, este segredo foi revelado mais adiante e os dois começaram a agir mascarados na abertura de várias senzalas da cidade.

Também era mostrada a luta do escravo alforriado Dimas (Raymundo de Souza), ou Rafael, sua verdadeira identidade. Ele retorna á Araruna para se vingar de seu pai, o Barão de Araruna, que o rejeitou quando ele era criança (vivido nesta fase por Selton Mello) e o vendeu junto com sua mãe, a escrava Maria das Dores (Dudu Morais).



Uma das tramas paralelas que chamou atenção foi a de Ana do Véu (Patrícia Pillar), que mantinha seu rosto coberto por um véu por causa de uma promessa feita por Nina (Norma Blum), sua mãe, á Santa Rita. A promessa consistia em que a jovem só poderia revelar seu rosto a seu futuro marido, mas por pressão de Manoel (José Augusto Branco), o pai da moça, isso aconteceu antes do previsto em um baile de gala organizado pela família dela para toda a cidade de Araruna.



“Sinhá Moça” esteve no ar entre 28 de Abril e 14 de Novembro de 1986, somando 172 capítulos.

No seu elenco destaque para as atuações de Elaine Cristina, Mauro Mendonça, Chica Xavier, Daniel Dantas, Tony Tornado, Ruth de Souza (que havia participado da versão cinematográfica do romance), Grande Otelo, Neuza Amaral, Sérgio Viotti, Solange Couto, Gésio Amadeu, Milton Gonçalves, Tato Gabus, Tarcisio Filho, Zeny Pereira e da pequena, na época, Lizandra Souto que deu vida a Sinhaninha criança.



Algumas curiosidades deste grande sucesso:
  • ·         A novela obteve picos de 72 pontos de audiência em sua exibição original.
  • ·         Lucélia Santos e Rubens de Falco voltavam a se encontrar, desta vez como pai e filha, 10 anos depois do mega sucesso “Escrava Isaura”.
  • ·         Fábio Júnior era a primeira opção para o papel de Rodolfo, ele não pode aceitar por compromissos musicais.
  • ·         O hoje ator Pedro Neschling, filho de Lucélia Santos, fez figuração nas cenas do baile de Ana do Véu
  • ·         A atriz Jacyra Sampaio, a eterna Tia Nastácia do “Sitio do Picapau Amarelo”, chegou a ser escalada para viver a Virgínia, a ama de leite de Sinhá Moça, que acabou ficando com Chica Xavier e ela ficou sendo Ruth, a Bá de Rodolfo.
  • ·         Foi exibida no “Vale a Pena Ver de Novo” em 1993 e voltou a alcançar altos níveis de audiência.
  • ·         Primeira novela da atriz Luciana Braga.


  • ·         Recebeu vários nomes em alguns países onde foi exibida, entre eles: ”Little Missy” (EUA), “Mademoiselle” (França), “El Camino De La Libertad” (Espanha) e “La Padroncina” (Itália).

  • ·         Em 1988, na Alemanha o romance ganhou o subtítulo “Die Tochter des Sklavenhalters” – “A Filha dos Escravos”.
  • ·         Durante a exibição da novela o programa “Fantástico” promoveu o encontro entre a atriz Lucélia Santos e a saudosa escritora Maria Dezonne.

  • ·         Em sua trilha sonora nomes do primeiro time da MPB como: Fafá de Belém, Gilberto Gil, Clara Nunes, Claudio Nucci, Dori Caymmi, Roberto Ribeiro e Ronnie Von em canções feitas especialmente para a novela.
  • ·         A cantora Denise Emmer, filha de Janete Clair e Dias Gomes, marcou presença na trilha sonora da novela com a canção “Companheiros”.
  • ·         As externas das Fazendas foram feitas em Conservatória (RJ), Itatiaia (RJ) e São João Del Rei (MG).
  • ·         A moça que estampava a capa da trilha sonora original da novela, muito parecida com Lucélia Santos, era na verdade a modelo Juana Garibaldi Carvalho.

Video de Lucélia relembrando a novela para o projeto "Memória Globo":



Mais vídeos:

CENA DA NOVELA 

______________________________________________________
LINKS DOS BLOGS PARTICIPANTES


Zappiando (Por Paulo Ricardo Diniz)
http://zappiando.wordpress.com


No Mundo dos Famosos (Por Jéfferson Balbino)
http://jeffersonbalbino.post.zip.net/


Eu Prefiro Melão (Por Vitor Santos)
http://www.euprefiromelao.blogspot.com/
___________________________________________________________

11 comentários:

Walter de Azevedo disse...

Uma das novelas inesquecíveis do núcleo das 18h da Rede Globo. O que mais me chamava atenção era que, mesmo sendo romântica, a novela tinha um visual pesado, sombrio, o que ajudava muito pra mostrar o sofrimento dos negros e até mesmo dando fidelidade à época. Li o livro e acho a novela infinitamente melhor rsrs.
Ótimo texto!

Evana R. disse...

Gostei muuito do texto! Tenho curiosidade de ver a novela de 1986... E adorei a chamada dublada em alemão! =D

aladimiguel disse...

Obrigado amigos Paulinho, Vitor e Jéfferson. VIVA Sinhá Moça e Lucélia Santos Forever ! Abraços

aladimiguel disse...

Obrigado amigos Paulinho, Vitor e Jéfferson. VIVA Sinhá Moça e Lucélia Santos Forever ! Abraços

Eddy Fernandes disse...

Nossa, sou doido por essa novela!! Acompanhei o remake e ao lado de "Pantanal" é a minha preferida do Benedito.

Concordo com o insuportável do Walter (hehe), com relação ao livro. A narrativa do romance é lenta, cansativa. Zil vezes o bucolismo do Benedito!!

Israel Carneiro disse...

Sinhá Moça é uma novela de grande sucesso no Brasil e no exterior.Fora que a novela celebrava os 100 anos de Lei Áurea.Rubens de Falco mostra novamente toda sua maestria em interpretar vilões.Enfim,um elenco bem escalado.Coisa que se repetiria 20 anos depois em seu remake que,aliás,eu gostei muito,apesar do jeito "bocó" do Ricardo(Bruno Gagliasso),totalmente oposto à caracterização do Daniel Dantas na 1º versão.

Wesley disse...

Ótimo texto, Aladim. Realmente Sinhá Moça é uma grande novela e Lucélia será sempre lembrada com a personagem título.

Cristiano disse...

Depois de sinhá moça, Lucélia arrebentou com CARMEM na extinta manchete.
Sinhá foi a última novela dela na globo, e essa lacuna de 25 anos é lamentável. Não gostei do remake!! Apesar da Debora Falabella ser boa atriz, não causou o mesmo impacto que Lucélia.

Rodrigo disse...

TROFÉU IMPRENSA neste domingo, 10/04, às 20h, no SBT. NÃO PERCAM!

LINK DOS INDICADOS AO TROFÉU IMPRENSA:

http://www.sbt.com.br/trofeuimprensa/2011/default.asp?c=3&t=Trofeu+Imprensa+Indicados

Marcos Silvério disse...

Parabéns pelo texto e pela lembrança.

"Sinhá Moça" é um dos grandes clássicos da nossa dramaturgia. Assisti a versão original e, apesar da evolução da tecnologia, não gostei nem um pouquinho do remake.

Os clássicos são eternos...

DANILO disse...

Ótimo texto, realmente.
Não vi a primeira versão, mas vi a segunda e gostei muito.

Queria pedir licença pra divulgar meu blog de webnovelas:
http://nascimento-danilo.zip.net/

Prefira também: