quarta-feira, 20 de julho de 2011

O dia em que conheci Clô Hayalla




Não poderia dizer que o dia em que vi Regina Duarte pessoalmente foi o dia em que a conheci, já que não há brasileiro que não a conheça, afinal estamos mais do que acostumados a conviver com sua adorável figura em nossos lares. E foram tantas emoções compartilhadas, tantos risos, lágrimas e amores arrebatados... Da Regina Duarte atriz, o que mais dizer? Ela é o rosto mais conhecido da TV. A mais representativa e emblemática das atrizes. Seu título de namoradinha do Brasil passa de mão em mão por jovens atrizes de tempos em tempos, mas nenhuma com tanto brilho e expressão. O Brasil namorou carinhosa e apaixonadamente Regina durante todos esses anos e namora até hoje. Das românticas mocinhas dos anos 70, La Duarte deu uma guinada no início dos 80 com a divorciada e independente personagem título de “Malu Mulher”. Outra guinada veio com “Roque Santeiro” (1985), quando mostrou que podia fugir dos tipos sofridos e interpretar a fogosa, engraçadíssima e incorretíssima Viúva Porcina, que marcou época e até hoje povoa o imaginário de muita gente. Regina tem o poder de polarizar atenções e mobilizar o país em torno dos dilemas das mulheres que interpreta. O Brasil sempre chorou, sofreu e torceu por ela. Quando Raquel rasgou o vestido de noiva da filha ingrata em “Vale Tudo” (1988), o Brasil rasgou e vibrou junto. Há quem não se identifique totalmente com seu estilo intenso e arrebatador de representar, mas uma coisa todos concordam: nenhuma atriz alcançou tamanha popularidade na TV como ela. Regina rainha da sucata, Regina Simone, Regina Luana, Regina Helena. São muitas em uma só.
Por isso prefiro dizer que o dia em que conheci Regina Duarte pessoalmente, foi, na verdade, o dia em que ela me conheceu, porque eu já a conhecia desde que conheço a mim mesmo, quando ficava com medo e fascínio de Luana Camará e Priscila Caprice em “Sétimo Sentido”, quando tinha apenas 5 anos de idade e não dissociava realidade de ficção. Ficaria adequado também nomear o dia de meu encontro com Regina como o dia em que conheci Clô Hayalla, intrigante personagem, nascida do imaginário de Janete Clair e repaginada por Alcides Nogueira e Geraldo Carneiro. Clô já habitava em meu computador, já havia conhecido suas primeiras palavras e até criado outras para ela... mas pra mim, o dia em que Clô Hayalla nasceu mesmo foi o dia em que a vi se materializar bem diante de mim. Em um átimo de segundo, a adorável Regina se transformou, diante de meus olhos, na poderosa Clô Hayalla, com todos os seus trejeitos e gestos. Ali naquele momento vi a genialidade da criação, quando Regina descreveu Clô como uma rainha, cuja coroa não estava presa na cabeça, daí sua maneira de andar, agir, gesticular, sempre no limite da altivez, prestes a perder o equilíbrio, mas fazendo das tripas coração para manter a pose e a coroa. Era o código que faltava para que Alcides Nogueira, também encantado com a metamorfose, desse a pincelada final na apaixonante Clô, que Regina vem interpretando com uma visceralidade impressionante. Sem medo do exagero, Clô é uma força da natureza, que se entrega às paixões com o coração, mas também com as vísceras. Já fica difícil imaginar uma Clô diferente da que Regina criou.
Nesse dia, constatei que ninguém é Regina Duarte à toa e que, dentre tantas diferenças entre Clô Hayalla e ela, há uma fundamental: sua coroa nunca cairá da cabeça. Regina, já batizada de rainha pelo nome, e predestinada a reinar no coração dos brasileiros, jamais perderá a majestade. Independente de todo o sucesso de “O astro” e de toda a felicidade que está sendo ajudar a escrever essa fascinante história, eu já seria privilegiado pelo simples fato de, já em minha primeira jornada televisiva, escrever para Regina Duarte. Responsabilidade que cumpro com muita honra e muito prazer.
____________________
Texto encomendado e publicado simultaneamente no blog "Eternamente Regina", espaço obrigatório para quem deseja conhecer tudo sobre a carreira da atriz.
_________________
Leia Também:

11 comentários:

Monique Andrade disse...

Vitor, agradeço imensamente por ter atendido ao meu pedido para falar sobre o seu encontro com a Regina Duarte, na coletiva de imprensa de "O Astro" e descrever toda a emoção em encontrar a diva Regina Duarte, além contar a forma como ela compôs a Clô Hayalla. Eu sinceramente estou amando o "O Astro", em especial a Clô Hayalla por ela ser intensa, forte e de uma alta carga dramática. Toda a equipe de "O Astro" está de parabéns, inclusive você, Vitor, que está junto com ela. Peço mil perdões por ter te perturbado tanto para você escrever esse texto, que por sinal está MA-RA-VI-LHO-SO! A sua sensibilidade em descrever esse encontro é incrível. Muito obrigada mais uma vez por ser atencioso e desejo-lhe muito sucesso em sua trajetória profissional e quem sabe você se torna um grande autor de telenovelas? #Sera? rsrsrs Tomara que isso se concretize, se Deus quiser.


Todo o sucesso do mundo ao blog! Bjos,

Monique Andrade.

Edison Eduardo d:-) disse...

Olá, Vitor! Bacana que postou o seu próprio texto aqui tb.... Quero te agradecer em meu nome, do nosso fã-clube, no da Marcia tb, que andou teclando com vc, ela deve passar por aqui qq hora... Isso... Sucesso lá no ASTRO, que alcances o máximo que deseja... Estamos torcendo (cuida bem dos caminhos da Clô, ok?)... Aquele abraço!!!

Nilson Xavier disse...

Regina = Rainha

não só da Sucata, mas de todos nossos sonhos!

Estou adorando sua Clô como h´amuito tempo não amava uma personagem sua com tanta intensidade!

RÔ_drigo disse...

Que delicia de papel é esse hein??
Eu falei pra próximos,ou a Regina brilhara mto ou sera até zoada,acertei pq apostei na primeira opção!
Salve Regina!!

Paulinha disse...

"Por isso prefiro dizer que o dia em que conheci Regina Duarte pessoalmente, foi, na verdade, o dia em que ela me conheceu, porque eu já a conhecia desde que conheço a mim mesmo"... Emocionei!
Lindo texto. O público agradece a Regina pela sua presença em nossas casas, com sua intensidade e entrega. E por mim, que seja sempre bem-vinda.

Abraços e sucesso! Pra você e pra ela, haha.

Ivan disse...

Regina para mim ao lado de Glória Menezes e Betty Faria são os grandes nomes das telenovelas da Tv Globo!

Walter de Azevedo disse...

E quando as pessoas pensam que Regina Duarte vai ser uma eterna Helena, ela mais uma vez se reinventa. Regina Duarte tem a capacidade de mostrar sempre uma nova face de suas interpretações. É por isso que ocupa o topo da constelação de nossas estrelas!!
Lindo texto, Vitinho!

O CABIDE disse...

A Regina Duarte está fantástica nesse personagem, de longe um dos melhores dela! Viva O astro!

São de arrepiar as cenas dela. E está linda, diferente da Suzana com Z, Regina Duarte envelhece e continua linda!

Seus textos, como sempre, não precisa mais de comentários né nosso quereeeedo roteirista Global!

Abs Vitor!

Fábio Dias R.
O Cabide Fala

Leonardo Távora disse...

Realmente deve ser mágico, na primeira incursão pela produção para TV escrever para alguém com o talento de Regina Duarte. E são deliciosas as cenas dela, sobretudo quando está junto outro monstro sagrado da Tv, Daniel Filho, um Salomão hayalla extremamente humano, com vários arquétipos compondo sua personalidade.

RAFFAELL disse...

A personagem Clô Hayala tem caráter histérico! Portanto a Regina Duarte está dando um Show de interpretação, como sempre. É sem dúvidas a melhor atriz brasileira.
Antes de julgar algo, é necessário ter o mínimo de conhecimento técnico do assunto discutido, e não fazer julgamentos do senso comum, julgamentos vulgares baseados en “achismos”. A Regina é incrível.

Maurício Ferreira disse...

A Regina é para mim a melhor representação do que se pode entender sobre o que é atuar, ela não é apenas a melhor atriz de todos os tempos, porque isso restringe que os atores se inspirem nela, ela é realmente a representação do que é atuar, todo e qualquer ator ou atriz deve aprender com Regina, incrível, forte, voraz, enfim, perfeita! Minha personagem da teledramaturgia preferida foi interpretada por ela na novela "História de Amor", Helena Soares, obrigado Regina !

Prefira também: