terça-feira, 23 de março de 2010

Aplausos mil para o CQC!



Foi realmente sensacional o primeiro “Proteste Já” do ano do programa comandado por Marcelo Tás. E para a infelicidade da Prefeitura de Barueri, que impediu judicialmente que o quadro fosse ao ar na primeira semana, o efeito foi mais devastador ainda, já que a repercussão e a expectativa para a exibição do quadro aumentaram consideravelmente.

Confesso que sou admirador do CQC desde sua estréia. Os caras são muito bons e provam que é possível unir jornalismo e humor sem perder de vista a qualidade, sem precisar resvalar para a vulgaridade ou para o sensacionalismo gratuito, como fazem similares do gênero. Todas as pautas, mesmo quando não são totalmente originais, são muito inteligentes e eles dão muito mais bolas dentro do que fora.

Mas se atendo ao quadro “Proteste Já”, que pode ser considerado o quadro mais “sério” do programa foram inúmeras as denúncias feitas (algumas de arrepiar), mas nenhuma delas se comparou ao que foi exibido nesta segunda-feira. Resumo rápido da ópera: eles doaram para a Secretaria de Educação da cidade uma televisão que continha um GPS, que informava tudo, desde sua localização, até se ela estava ligada ou desligada. E com isso acabaram descobrindo que a doação nunca foi para escola alguma e ficou durante meses na casa de uma funcionária sendo usada por ela. Mas sem saber desse GPS, o que se viu foi um festival de mentiras e desculpas por parte de todos os envolvidos, inclusive uma tentativa de transportar a TV às pressas para o colégio em que deveria estar, mas foram flagrados no melhor estilo folhetinesco. Climão e fortes emoções. Mais estarrecedora ainda foi a reação do prefeito, indignado, chamando a todos do programa de babacas, sem talento e outros impropérios, se vangloriando de ser um dos responsáveis pela democracia. Realmente foi de embrulhar o estômago.

O mais triste e flagrante nessa história toda é que o produto do desvio foi uma simples televisão. Imagina o que não se desvia por aí país afora. Triste constatar que a corrupção está entranhada na nossa cultura e tida como algo normal por muita gente. Como um país pode reclamar de Arrudas e mensalões da vida se em todas as instâncias de poder, busca-se levar vantagem, prevalece o individual frente ao coletivo? Tudo isso foi desmascarado pelo CQC de maneira tragicômica. Mais tragicômico ainda é constatar que, aparentemente, apenas a funcionária será punida. Qualquer pessoa que conhece ou já trabalhou em órgão público (me incluo nessa) sabe que é impossível colocar um objeto do setor debaixo do braço e sair normalmente (quanto mais uma TV daquele tamanho). Ou seja, há muito angu debaixo desse caroço. Mas será que vai ser descoberto? É nesses momentos inspiradíssimos que todos nós, amantes da televisão, devemos bater muitas palmas, pois se consegue realizar um programa super bem feito, inteligente, engraçado, mas consciente, que coloca o dedo na ferida, expõe nossas piores misérias (pior do que a miséria da carne é a miséria da alma) sem apelar para o sensacionalismo ou para o grotesco. O CQC, nessa segunda-feira, atingiu o ápice do que se espera de um programa de TV: divertir, entreter, informar e conscientizar. Parabéns, Rafinha Bastos, Danilo Gentilli e a todos os rapazes e moças do programa. Golaço de placa para ser emoldurado.

Um comentário:

Leonardo Távora disse...

Achei incrível o "proteste já". E fico triste por duas coisas. Primeiro de ver como nosso país é dado à corrupção até nas coisas simples. Segundo por conta da censura. O povo da prefeitura sabia que estava errado, e tentou impedir de todas as formas a liberdade e a denuncia, como se estivéssemos ainda sob domínio dos militares que cessaram as vozes dissonantes durante duas décadas! Triste ver isso!!!

O programa CQC está de parabéns!! E o melão tb, pela justa homenagem. Estou aguardando com ansiedade pelo novo melão, viu, Vitor!!!

Grande abraço.

Prefira também: